O momento mais feliz da vida de um cristão, sem dúvidas, é o que ele recebe Jesus como seu Senhor e Salvador. Muitas vezes uma emoção profunda toca nosso coração ao pensarmos na nossa experiência de conversão, não é mesmo? Quando nos lembramos desse dia e dos dias que o sucederam, nosso coração se enche de alegria!

Antes de recebermos o Senhor, buscávamos muitas coisas alheias a Sua vontade, nos preocupávamos com o futuro de maneira muito intensa – vivíamos ansiosos e sem paz.

Mas graças ao Senhor, um dia (ah, que dia!) Ele nos chamou pelo nome e nossa vida foi mudada. A partir daí, toda o nosso viver girava em torno da Pessoa querida de Jesus. Nossas ações mudaram espontaneamente, bem como nossos desejos e planos para o futuro. E quanto mais ouvíamos nosso nome sendo chamado por Ele – através da leitura bíblica, da oração, da Palavra nas reuniões da Igreja – mais sentido fazia viver mergulhada no plano de Deus. Mais desejosos éramos por ouvir Sua doce voz e abraçá-Lo forte em nosso coração. Nosso choro era por encontrarmos Sua presença e pela alegria da salvação. Tínhamos a certeza de que Ele se importava conosco!

Mas algum tempo pode ter passado desde o dia em que fomos salvos. Para alguns, apenas um ou dois anos, para outros, 10 anos ou mais. Hoje uma pergunta importante soa para cada um de nós: “…por que choras? A quem procuras? ” (Jo 20:15).

Essa pergunta foi feita a Maria Madalena uma vez. Temos essa descrição em João 20:1-18. No domingo da ressurreição do Senhor ela esteve no sepulcro de madrugada e, depois que viu a pedra revolvida, correu para avisar a Pedro e João. Eles foram correndo até o túmulo, mas, quando viram que O Senhor não estava ali, foram embora. Todavia Maria permaneceu na entrada do túmulo chorando (v. 11). Então, dois anjos perguntaram para ela: “Mulher, por que choras? Ela lhes respondeu: porque levaram o meu Senhor, e não sei onde o puseram” (v.13).

E novamente, a mesma pergunta chega a nós hoje: “por que choras? A quem procuras?”.

Pelo que eu tenho chorado ultimamente? Será por experiências pessoais ou familiares negativas? Por problemas profissionais? Por não conseguir atingir minhas metas ou por não encontrar aquilo que tanto busco? Tenho procurado relacionamentos, riquezas, status? Muitos desses itens são necessidades autênticas do ser humano e aspiramos por eles, mas será que eles têm tomado todo o nosso tempo e pensamentos? Quais são as nossas prioridades? Quem ou o que estamos procurando? Por que choramos? Maria Madalena estava chorando pelo Senhor, por causa do Senhor.

Ultimamente O Senhor tem mostrado fortemente que Sua volta se aproxima. Ele tem uma noiva, que é a Igreja, a qual Ele ama e com quem deseja Se casar. Eu e você, que recebemos O Senhor um dia, nos tornamos parte dessa noiva (cf. Ef 5:25-27)! Frente a algo tão especial que Ele tem em Seu coração em relação a nós, precisamos observar como temos vivido e pelo que aspiramos nessa terra. Que tipo de noiva tenho sido? Será que tenho sido como Maria que, por amor, buscou intensamente encontrar-se com O Senhor ou tenho buscado prioritariamente minhas próprias coisas?

Minha busca

Maria buscou O Senhor e Ele encontrou-se com ela. Inclusive, ela foi a primeira a ver O Senhor após Sua ressurreição! Hoje, na nossa experiência, O Senhor deseja encontrar-se conosco todos os dias para que O conheçamos mais e para que sejamos mais transformados pela Sua Pessoa. Assim, um dia estaremos prontos para nos casarmos com Ele!

Para termos esse encontro diário com Cristo, é preciso somente que O busquemos de todo o nosso coração! Nessa busca pessoal, podemos chamá-Lo pelo Seu nome, convidá-Lo para estar mais perto de nós, e então, conversando com Ele de amigo pra Amigo, expressando nossos medos e angústias, ansiedades e preocupações, alegrias e vitórias, O conheceremos mais! (cf. Jr. 29:12).

O doce encontro: a maior das prioridades

Prosseguindo com a narrativa dos versículos, depois que os anjos já haviam perguntado por que Maria chorava, o próprio Senhor Jesus perguntou a ela: “Mulher, por que choras? A quem procuras?” (v. 15). A princípio ela não O reconheceu, então Ele disse algo que mexeu profundamente com o coração dela – Ele a chamou pelo nome! – “Maria!” Assim, no mesmo instante ela percebeu que era O Senhor! Imagino como seu coração angustiado deve ter estremecido e sido confortado… Maria tinha experimentado uma grande libertação pelo Senhor, pois antes de conhecê-Lo estava possessa por sete demônios! A partir de então, a vida dela teve uma nova prioridade: ela vivia para Seu querido Senhor, servindo-O por amor (cf. Lc 8:1-3; Mc 15:40-41)!

Quando aquela voz doce, inconfundível, chamou por Maria, lhe trouxe muito alento. O Senhor é Uma Pessoa realmente maravilhosa! Quando recebemos uma mensagem/ligação especialmente para nós de um parente, por exemplo, dizendo que somos especiais ou que somos importantes, isso nos faz sentir tão queridos, não é verdade? É diferente quando recebemos algo de alguém que pensou especialmente em nós. Em relação ao Senhor, Ele cuida da Sua Igreja de maneira coletiva, mas Ele tem um carinho individual e especial por cada um de nós! Ele é aquele que vai exatamente ao nosso encontro caso um de nós se perca. O Senhor conhece Suas ovelhas pelo nome (Jo 10:3)! Por isso, quando O buscamos com o coração desejoso, não apenas abrimos nosso coração pra Ele e Ele nos ouve, mas Ele também abre Seu coração para nós e podemos ouvi-Lo chamar pelo nosso nome, de forma íntima e especial!

O Senhor se importa com as minhas necessidades?

Maria chorou por amor ao Senhor e O encontrou. A prioridade da busca dela era pela presença do Senhor. Na nossa experiência hoje, pode ser que ainda “choremos” por outras necessidades autênticas da vida humana que não O Senhor. Na verdade, O Senhor também se importa com essas coisas que nos fazem falta. Ele se importa muito. Salmos 56:8 mostra que O Senhor recolhe as nossas lágrimas no Seu odre. Cada uma delas está inscrita no Seu livro. Quando Maria chorava, O Senhor não foi insensível, não a chamou de “chorona”, mas perguntou por que ela chorava. Foi importante para Ele saber da própria Maria o que a estava fazendo chorar. O Senhor vê nossas necessidades e se importa com elas. Ele pede apenas que busquemos em primeiro lugar O Seu reino e a Sua justiça e todas essas coisas nos serão acrescentadas (cf. Mt. 6:33; Pv 10:24)! Ele cumpre cada um dos anelos dos justos (Pv 10:24).

É preciso somente que não nos desesperemos. Necessitamos unicamente crer que Ele cuida de nós e investir o melhor do nosso tempo buscando a Sua Pessoa e chorando pelo cumprimento de Sua vontade. Ele deseja retornar e conta com cada um de nós para cuidarmos do Seu bem mais precioso: as pessoas! Podemos cumprir a vontade de Deus quando apressamos Sua volta pregando o evangelho (cf. Mt 24:14) e cuidando dos nossos irmãos (cf. Mt 24:45). Quando Sua noiva, enfim, estiver pronta para o casamento, Ele retornará (cf. 2 Pe 3:9-10). Maria investiu o melhor da sua vida servindo ao Senhor de perto, auxiliando assim o cumprimento de Sua vontade, e, por ter esse coração, ela sempre teve a presença do nosso Senhor.

Mas não se preocupe, “o melhor” está relacionado a qualidade. Não necessariamente precisamos deixar tudo o que fazemos para servir ao Senhor. Existe o chamamento individual para que alguns o façam, mas pode ser que você seja chamado para viver integralmente para Ele exatamente onde você está: no seu ambiente familiar, dentro da sua faculdade, no dia a dia no trabalho. O importante é que, dentro do chamamento que O Senhor te deu, quando as pessoas olharem para você, elas possam refletir: “Esse jovem tem Deus como prioridade. Em tudo o que faz, coloca Deus no centro”. Isso demonstra uma vida consagrada. Apesar de buscarmos nossas necessidades humanas, nossa prioridade é a presença do Senhor! O melhor momento do dia é o da comunhão com Deus e o mais importante, onde quer que estejamos, é expressá-lo. Assim, enquanto estivermos investindo o melhor do nosso tempo e coração nas coisas de Deus, Ele estará cuidando com perfeição do que precisamos. Se cuidamos do que é Dele, Ele cuida maravilhosamente do que é ou ainda será nosso (Mt 6:25-34)!

Que possamos hoje mesmo ouvir a voz do nosso Amado Senhor nos chamando pelo nome e busquemos sempre um coração que tenha como prioridade fazer a Sua vontade! Que Ele nos guarde em Sua presença, amado jovem! 🙂

Texto baseado no devocional Alimento Diário – A Visão da Igreja. Semana 3 – Quarta-feira, pag. 45-46.

 

Deixe seu comentário