Intercessão – uma frutificação oculta

Por muito tempo, eu observei as pessoas ao meu lado morrerem espiritualmente enquanto eu desfrutava a vida eterna, pois me sentia incapaz de transmitir a verdade. Quando se tratava de frutificação, estava convencida de que a timidez e a introversão limitavam minha pregação. E, esse fardo e condenação que coloquei sobre meus ombros, dificultavam meu descanso em Deus.

Então, o Senhor pôs fim a essa condenação, trazendo-me paz e liberdade em Cristo. Deus abriu os meus olhos para a intercessão, como uma maneira de frutificar.

Esta experiência ocorreu quando o Senhor me deu dez nomes para interceder durante o semestre. E, como o nosso serviço feito Nele nunca é vão (1 Co 15:58), todo esse período de intercessão resultou na salvação daqueles que não eram salvos, os que estavam caídos se levantaram e, no fim, estávamos todos de pé.

Melhor é serem dois do que um, porque têm melhor paga do seu trabalho.  Porque se caírem, um levanta o companheiro; ai, porém, do que estiver só; pois, caindo, não haverá quem o levante.” (Ec 4: 9 – 10)

Minha intenção era apenas mudar a situação dessas dez pessoas, mas o Senhor aproveitou para transformar-me e ampliar minha visão.

Mudou o Senhor a sorte de Jó, quando este orava pelos seus amigos” (Jó 42: 10a)

Jó também orou pelos seus amigos, os mesmos com quem havia discutido e por quem havia sido duramente julgado. Assim , ao orar pelos meus amigos, mesmo aqueles que pareciam não querer nada com Deus, o Senhor me deu porção dobrada do Seu amor e poder.

Ele me ensinou a amar como Ele ama, crendo que ninguém é irrecuperável. Ao interceder diante do Senhor, fui contagiada com o amor que Ele sente. E, assim como Ele, apesar de ver as falhas dessas pessoas, continuava a ter compaixão.

Se não tiver amor, nada serei. (…) Tudo sofre, tudo crê, tudo espera, tudo suporta.” (1 Co 13: 2b, 7)

Por fim, o Senhor me mostrou que a frutificação não vem apenas por esforço, mas por permanecer também:

Eu sou a videira, vós, os ramos. Quem permanece em mim e eu nele, esse dá muito fruto; porque sem mim nada podeis fazer.” (Jo 15:5)

Passei a entender que a intercessão é uma frutificação e cuidado feitos de maneira oculta e que aquelas dez pessoas por quem intercedi passaram a fazer parte da minha coroa.

Pois quem é a nossa esperança, ou alegria, ou coroa em que exultamos, na presença de nosso Senhor Jesus em sua vinda? Não sois vós? Sim, vós sois realmente a nossa glória e a nossa alegria!” (1 Ts 2:19-20)

Por um lado, o Senhor mostrou que minha timidez não limitava o poder Dele, desde que eu permanecesse. Por outro, o desenvolvimento do amor pelas pessoas e pela obra do Senhor durante esse período, encheram-me de ousadia e maturidade para conseguir falar.

Porque Deus não nos tem dado espírito de covardia, mas de poder, de amor e de moderação.” (2 Tm 1:7)

O Senhor trabalhou e continua trabalhando em mim para que, através de permanecer Nele, Ele possa me usar, seja pregando, intercedendo ou de qualquer outro modo necessário para levar as pessoas a Cristo.

Da mesma maneira, se você sente que a frutificação ainda é um fardo que te traz cansaço e angústia, vá diante do Senhor. Jesus foi bem claro ao dizer que o fardo Dele é leve e suave (Mt 11: 28-30), então, tal sentimento não provém de Deus. A obra restringe-nos e molda-nos, mas traz alegria, paz, glória, suavidade e a presença de Cristo.

A intercessão é uma frutificação oculta, assim como o cuidado do Pai se oculta muitas vezes. Creio que só estou hoje na presença maravilhosa do Nosso Amado Jesus, porque muitos intercederam por mim sem que eu soubesse. E a melhor maneira de sermos gratos a essas intercessões que nos mantêm em pé é interceder pelos outros.

Orai uns pelos outros.” (Tg 5;16)

 

Desejo com o amor do Senhor que esse texto tenha te trazido paz e te encorajado a descobrir o maravilhoso poder da intercessão. E, para que eu saiba que somos um nesse sentimento, compartilhe, comente e curta, e eu estou aqui para interceder por você e com você.

Porque eu recebi do Senhor o que também vos entreguei.” (1 Co 11:23a)

Deixe seu comentário