Por que será que temos tantas redes de “fast food“? Por que comida de microondas é tão popular? É porque não gostamos de esperar.

Se você quer uma refeição rápida, pode ir a um “drive-thru” do McDonald’s e comprar um “McLanche Feliz”. No entanto, se quer um banquete, sabe que terá de esperar um pouco. Grandes refeições não são preparadas de uma hora para outra, não importa o que digam os comerciais de TV. Nunca vi ninguém colocando comida no microondas, porque achasse que ela ficaria mais saborosa do que se preparada no forno ou em uma panela de barro. Usamos o microondas quando queremos comer logo. Usamos o forno quando queremos comer bem.

Os planos e as promessas de Deus não são comida de microondas. Deus prepara lentamente Seus planos e Seu povo, extraindo deles o que é melhor. Quase sempre você pode esperar que Deus o fará aguardar, porque Ele tem o que é melhor para você. Ele nunca Se atrasa e, dificilmente, Se apressa. Contudo, posso lhe garantir: quando o plano de Deus é que você espere, Ele vai fazer a espera valer a pena.

Ao estudar a vida de Davi, descobrimos que ele passou grande parte dela esperando. Ele teve que esperar, mais ou menos, quinze anos desde que foi ungido por Samuel até se tornar o rei de Judá. E teve que esperar mais outros sete anos para ser ungido rei sobre todo Israel. Isso significa que ele esperou mais de vinte anos para ser rei.

Devemos começar observando que a promessa feita por Deus a Israel e a Davi levou muito tempo para ser cumprida. Davi se torna rei de Israel depois de uma considerável demora e de muita adversidade. Esse é o tema de 1 Sm 16:1 a 2 Sm 5:5. Esse período da vida de Davi pode ser resumido em duas palavras: “tempo” e “problema”.

A demora para Davi se tornar rei de Israel não é incomum, mas é o jeito típico de Deus cumprir Suas promessas e Seus propósitos. Deus não está com pressa. Ele tem todo o tempo do mundo. Na verdade, Deus é muito maior que o tempo e com certeza não é limitado por ele. Em toda a Bíblia vemos Deus prometendo coisas que os homens precisam esperar para receber:

1. Deus prometeu um filho a Abrão e Sarai, mas eles tiverem de esperar 25 anos para tê-lo.

2. Deus prometeu a Noé que haveria um dilúvio, mas isso demorou muito para acontecer.

3. Deus fez Jacó esperar durante 7 anos para ter a esposa que ele queria.

4. José teve de esperar um tempo considerável para ver seus irmãos e sua família, e não conseguiu voltar para sua terra senão depois de sua morte (seus ossos foram carregados para a terra prometida).

5. Os israelitas tiveram de esperar 430 anos no Egito, antes de voltarem para a terra prometida.

6. O escritor de Hebreus nos conta que todos os santos do Antigo Testamento tiveram de esperar por nós (os gentios) antes de poderem ver o reino prometido (Hb 11:39-40).

7. Durante 2.000 anos os santos têm esperado a volta de nosso Senhor e a vinda do Seu reino.

Esperar é parte do desígnio divino. A espera não é um acidente, é um propósito.

Também muitas pessoas fracassam na fé e obediência a Deus enquanto esperam: esperar é uma forma de adversidade, uma provação para nossa fé e perseverança.

“Pois que glória há, se, pecando e sendo esbofeteados por isso, o suportais com paciência? Se, entretanto, quando praticais o bem, sois igualmente afligidos e o suportais com paciência, isto é grato a Deus.” (1 Pe 2:20)

Muitas das falhas que vemos na Bíblia estão relacionadas com a espera. Podemos percebê-la desde o princípio, com Adão e Eva. Se atentarmos à história da queda, veremos a tentação de tomar um atalho para alcançar algo que o Senhor estava preparando para eles. O conhecimento do bem e do mal, em si mesmo, não era o problema. Se Adão e Eva iriam se tornar “como Deus” conhecedores do bem e do mal, como, então, isso poderia ser ruim? É ruim ser como Deus? Não é isso o que Deus está fazendo conosco, conformando-nos a imagem de Cristo (Rm 8:29)? Não seremos “como Ele” quando “O virmos como Ele é” (1 Jo 3:2)? Davi não foi elogiado por “conhecer o bem e o mal” (2 Sm 14:17)? Salomão orou pedindo sabedoria para discernir entre “o bem e o mal” (1 Rs 3:9). Os cristãos, pela obediência à Palavra de Deus, “têm a faculdade exercitada para discernir o bem e o mal” (Hb 5:14). Vemos que Deus queria que Adão e Eva tivessem esse conhecimento, mas não pelo meio fácil e rápido de pegar às escondidas o fruto proibido. Não era errado conhecer o bem e o mal, mas sim conhecê-lo de uma forma que Deus havia vetado. Creio que Deus tinha um jeito melhor e mais lento para isso, mas eles preferiram o atalho. Eles não quiseram esperar no Senhor por esse conhecimento.

Abraão e Sara tinham de esperar pelo filho prometido e, pelo menos uma de suas falhas foi no campo da paciência, de esperar em Deus pelo cumprimento de Sua promessa. Não foi por isso que Abraão disse ser o damasceno Eliézer, seu herdeiro (Gn 15:2)? Não foi por isso também que Abrão aprovou o conselho de Sara para ter o descendente prometido por meio de sua serva Agar (Gn 16:1-2)?

Conforme descrito em Êxodo 32, os israelitas pecaram ao fazer o bezerro de ouro. Isso não ocorreu porque eles rejeitaram esperar 40 dias pelo retorno de Moisés do Monte Sinai?

Em 1 Samuel 13, o pecado de Saul não foi porque ele não quis esperar por Samuel?

Não estavam os discípulos de nosso Senhor sempre perguntando pela vinda do Seu reino e tentando apressá-la?

A igreja de Corinto tinha muitos problemas. Um deles era no campo da espera. Eles não podiam esperar que Deus fizesse justiça, por isso, levavam uns aos outros ao tribunal (1 Co 6).

Não é de admirar que nosso Senhor tenha dedicado tanto tempo e atenção ensinando a Seus discípulos como se comportar enquanto esperassem Sua volta:

“Ficai também vós apercebidos, porque, à hora em que não cuidais, o Filho do Homem virá. Então, Pedro perguntou: Senhor, proferes esta parábola para nós ou também para todos? Disse o Senhor: Quem é, pois, o mordomo fiel e prudente, a quem o senhor confiará os seus conservos para dar-lhes o sustento a seu tempo? Bem-aventurado aquele servo a quem seu senhor, quando vier, achar fazendo assim. Verdadeiramente, vos digo que lhe confiará todos os seus bens. Mas, se aquele servo disser consigo mesmo: Meu senhor tarda em vir, e passar a espancar os criados e as criadas, a comer, a beber e a embriagar-se, virá o senhor daquele servo, em dia em que não o espera e em hora que não sabe, e castigá-lo-á, lançando-lhe a sorte com os infiéis. Aquele servo, porém, que conheceu a vontade de seu senhor e não se aprontou, nem fez segundo a sua vontade será punido com muitos açoites. Aquele, porém, que não soube a vontade do seu senhor e fez coisas dignas de reprovação levará poucos açoites. Mas àquele a quem muito foi dado, muito lhe será exigido; e àquele a quem muito se confia, muito mais lhe pedirão.” (Lc 12:40-48)

Satanás muitas vezes ataca tentando tirar proveito da demora divina. Satanás tenta tranquilizar a mente do incrédulo mostrando que a demora divina é uma prova de que Deus não sabe, ou não se importa, quando pecamos:

“Amados, esta é, agora, a segunda epístola que vos escrevo; em ambas, procuro despertar com lembranças a vossa mente esclarecida, para que vos recordeis das palavras que, anteriormente, foram ditas pelos santos profetas, bem como do mandamento do Senhor e Salvador, ensinado pelos vossos apóstolos, tendo em conta, antes de tudo, que, nos últimos dias, virão escarnecedores com os seus escárnios, andando segundo as próprias paixões e dizendo: Onde está a promessa da sua vinda? Porque, desde que os pais dormiram, todas as coisas permanecem como desde o princípio da criação.” (2 Pe 3:1-4)

Satanás procura minar a fé e a obediência dos filhos de Deus enganando-os a respeito do amor divino sempre que Deus demora em atendê-los. Creio que foi isso o que Satanás fez com Adão e Eva no jardim do Éden. Creio também que este seja o cerne da tentação de nosso Senhor no início de Seu ministério terreno. Satanás disse ao Senhor: “Ok, sei que você é o Rei de Deus. Contudo, em vez de negar a si mesmo (obedendo a Deus e ficando 40 dias e 40 noites sem comer), por que não se serve? Por que não come agora? Por que entrar no seu reino com tanto sofrimento? Por que não me adora e eu lhe dou o reino agora mesmo?” Não é assim que Satanás pensa e age?

Enquanto esperamos, Satanás quer nos fazer acreditar que as promessas de Deus jamais serão cumpridas. Ele procura nos levar a agir independentemente de Deus, conseguindo as coisas por nós mesmos, em vez de esperar que Deus as dê para nós. Satanás procura levantar dúvidas quanto ao amor de Deus, como se Deus estivesse retendo algo bom de nós por pura mesquinharia. Satanás age promovendo a desconfiança em Deus, especialmente, em Sua Palavra. Ele nos leva a desobedecer a Deus e a seguir nosso próprio julgamento. Ele nos incita a aproveitar as ocasiões, usar meios questionáveis e usar os outros como meios de obter aquilo que desejamos.

O tempo de espera no Senhor é o tempo de ter a fé elevada ao limite e a intimidade com Deus reforçada. Já perceberam como muitos Salmos foram escritos em tempos de espera? A pergunta “Até quando?” é encontrada diversas vezes nos salmos – “espera no Senhor”. Davi, muitas vezes, é o autor desses salmos de “espera”. Esperar no Senhor é bom para nós. Esperar nos ajuda a desenvolver a paciência e a tolerância. Faz com que exercitemos nossa fé nas promessas de Deus e ajamos com base na Sua Palavra, não no que vemos ou pensamos. Esperar aumenta nosso apetite pelas coisas maravilhosas que Deus tem reservado para nós. Esperar requer negar os desejos carnais e deixar de lado o desejo de gratificação imediata pelo meio mais fácil. Esperar no Senhor é uma das maneiras de “tomarmos nossa cruz e O seguirmos”.

Esperar no Senhor também pode ser aplicado na pureza sexual. Hoje em dia há muita conversa sobre “sexo seguro” e bem pouca sobre abstinência. Isso acontece, porque esperar pelos prazeres do sexo conjugal é um tabu. A virgindade é desdenhada como se fosse uma maldição, não um presente que um cônjuge oferece ao outro. Esperar no Senhor pelas alegrias e pelos prazeres do sexo conjugal, aumenta a alegria e o prazer desta dádiva, se e quando Deus a der. O que desejo frisar é que a pureza sexual requer espera e a espera é uma boa parte daquilo que a vida cristã requer. Não devemos considerar este assunto como algo que Deus cruelmente retém de nós, mas como um presente muito bom, o qual estamos dispostos a esperar no Senhor para podermos desfrutar plenamente e sem culpa.

Ainda podemos falar que alguns tipos de espera não são cristãs. Muitas vezes temos tendência a esperar quando deveríamos trabalhar e trabalhar quando deveríamos esperar. Não devemos esperar para fazer aquilo que Deus nos ordena a fazer. A espera que agrada a Deus consiste em esperar por suas promessas, que nós mesmos não podemos cumprir sem agir com incredulidade e desobediência à Sua Palavra.

Esperar não é, necessariamente, uma época de passividade. Já reparou no que as pessoas fazem enquanto estão esperando? Algumas não fazem absolutamente nada. Há coisas construtivas que se pode fazer enquanto se espera. Davi esperou mais de 20 anos para reinar sobre todo Israel, mas essa foi uma época bastante ocupada de sua vida. Ele fez muito mais do que simplesmente fugir para se salvar. Ele libertou o povo de Queila (1 Sm 23:1-5) e fez boas coisas para o povo de Judá (1 Sm 30:26-31). Uma das coisas que podemos fazer enquanto esperamos é louvar a Deus e orar, como Davi e outras pessoas fizeram nos salmos. Embora não possamos fazer aquilo que mais desejamos, podemos fazer aquilo que Deus nos dá oportunidade de fazer, enquanto esperamos nEle pelo cumprimento de Suas promessas e de Seus propósitos.

Esperar é uma parte significativa da vida de cada um de nós. Cada um de nós espera uma porção de coisas neste exato momento. Permitam-me citar apenas algumas:

1. Quando jovens, esperamos para crescer e desfrutar dos direitos, privilégios e responsabilidades da vida adulta. Rebeliões na adolescência e sexo antes do casamento são tentativas de tomar um caminho mais curto que muitas vezes acabam causando um curto-circuito;

2. Alguns casais esperam ter filhos. A maioria dos pais tem de esperar, pelo menos, nove meses para ter um filho, e muitos deles têm de esperar muito mais;

3. Muitas pessoas esperam reconhecimento e recompensa por seu trabalho, enquanto outras tomam atalhos para serem promovidas;

4. Quase todos os cristãos passam por algum tipo de dor ou sofrimento em que têm de esperar por libertação;

5. Todos os cristãos esperam pela salvação de entes queridos, amigos ou parentes;

6. Todos nós nos encontramos esperando que Deus mude alguém a quem amamos ou que é próximo a nós;

7. Todos esperamos a vinda de nosso Senhor e de Seu reino;

8. Por mais estranho que pareça, uma porção de cristãos esperam pela morte. Há aqueles que não conseguirão esperar pelo tempo de Deus e escolherão o suicídio como meio de aliviar sua dor. Todos conhecemos situações em que desejamos que o Senhor “os leve” ou “nos leve”, mas Deus nos diz para esperar.

Aprendamos com Davi que esperar é uma parte normal da vida cristã. Seremos tentados a encurtar esta espera, mas ceder seria pecado. Muitas vezes, outras pessoas querem nos ajudar a tomar um atalho. Contudo, precisamos decidir de coração a ser como Davi e esperar no Senhor pelo cumprimento de Seus propósitos e de Suas promessas no Seu tempo. Tenhamos certeza de que, enquanto esperamos, Deus está operando em nós, preparando-nos para as coisas maravilhosas que estão à nossa frente. Não duvidemos de que as veremos. E dediquemo-nos a crescer em vida e servir ao Senhor enquanto esperamos, não de mãos atadas, mas fortalecendo a nossa fé.

“Espera pelo SENHOR, tem bom ânimo, e fortifique-se o teu coração; espera, pois, pelo SENHOR.” – Salmo 27:14

“Mas, como está escrito: Nem olhos viram, nem ouvidos ouviram, nem jamais penetrou em coração humano o que Deus tem preparado para aqueles que o amam.” – 1Co 2:9

Texto traduzido e adaptado de https://bible.org/seriespage/waiting-lord-2-samuel-21-55