Resiliência – Esse é o assunto que abordaremos nesse texto. Inicialmente, trazemos o conceito dessa palavra segundo a engenharia de materiais. Depois, falamos a aplicação na vida cristã e como você pode aumentar a sua resiliência. Esperamos que você goste. Boa leitura!

O que é resiliência

Resiliência é um termo utilizado na engenharia de materiais, mas que de maneira recorrente aparece em textos motivacionais. William D. Callister, em seu livro “Materials science and engineering – An introduction”, define a resiliência de uma maneira formal:

“Resiliência é a capacidade de um material absorver energia quando ele é deformado elasticamente e, então, no descarregamento, ter recuperada esta energia.” (CALLISTER, William D.; MATERIALS SCIENCE AND ENGINEERING – An Introduction)

No trecho acima, Callister cita a deformação elástica. Para uma melhor compreensão conceitual, abaixo segue uma breve descrição dos dois tipos básicos de deformação, plástica e elástica:

  1. Deformação Plástica: Deformação que um material sofre quando uma força mecânica é aplicada sobre ele e ao retirar-se a aplicação da força, o material não retorna ao seu estado original. EX: quando você estica demais uma mola ou quando abre um clips, ao deixar de aplicar a força que estava exercendo, ambos não retornam ao seu estado original.
  2. Deformação Elástica: Deformação que um material sofre quando é aplicada sobre ele uma força mecânica, entretanto, ao retirar a aplicação dessa força, o material retorna ao seu estado original. EX: a mola do amortecedor de um carro. Ao passar por um buraco ou “quebra-molas/lombada” a mola sofre uma leve deformação e logo retorna ao seu estado original.

Tendo conhecimento destes dois tipos de deformação, é possível definir resiliência como a capacidade que um material possui de, sob a ação de uma força, se deformar apenas elasticamente, e não plasticamente.

Como o conceito de resiliência se aplica à vida cristã

O conceito de resiliência é extremamente útil em nossa realidade. Muitas vezes, somos surpreendidos por acontecimentos imprevistos, por sofrimentos inesperados, que geralmente não entendemos a razão de estarem acontecendo (talvez nunca entendamos a razão de alguns sofrimentos). A vida bate e dói. Machuca e sangramos por dentro (e as lágrimas escorrem por fora). Aí entra o conceito de resiliência.

“Forças” serão aplicadas sobre nós em diversos momentos de nossa vida. Tribulações virão. “Deformaremo-nos”, sofreremos. Entretanto, se tivermos uma resiliência alta, essa deformação será elástica, temporária. Quando a tribulação passar, ainda estaremos de pé. As deformações, os sofrimentos que passarmos também passarão. Não digo que não ficarão marcas, mas essas marcas não serão suficientes para mudar quem nós somos!

Como aumentar sua resiliência?

Paulo, em sua segunda epístola aos coríntios nos diz algo significativo com relação a esse assunto:

“Em tudo somos atribulados, porém não angustiados; perplexos, porém não desanimados; perseguidos, porém não desamparados; abatidos, porém não destruídos; levando sempre no corpo o morrer de Jesus, para que também a sua vida se manifeste em nosso corpo.” (2 Co 4:8-10)

“Abatidos, porém não destruídos”. Os acontecimentos ao nosso redor podem nos abater, fazer-nos sofrer, mas não serão capazes de nos destruir. Por quê? Porque Cristo é nossa resiliência: “levando sempre no corpo o morrer de Jesus, para que também a sua vida se manifeste em nosso corpo”. A vida Dele manifestada em nós é capaz de nos fazer resistir! Essa resiliência não vem de nós, mas da vida e natureza de Cristo, que dia a dia são acrescentadas e manifestadas em nós! Ele é nossa suficiência:

“E é por intermédio de Cristo que temos tal confiança em Deus; não que, por nós mesmos, sejamos capazes de pensar alguma coisa, como se partisse de nós; pelo contrário, a nossa suficiência vem de Deus” (2 Co 3:4-5)

Esse é o maior segredo para aumentar nossa resiliência, confiança em Deus. A comunhão com Cristo faz com que nossa confiança em Deus aumente, faz com que mais da Sua vida seja acrescentada a nós. Graças a Deus! Mantenhamos comunhão com Cristo, Ele é quem nos faz resistir quando as forças são aplicadas sobre nós.

Sim, Ele é capaz de nos fazer resistir, pois Ele mesmo resistiu! Ele pode compadecer-se de nossas fraquezas porque Ele sabe o que é ser tentado, como o livro de Hebreus nos mostra no capítulo 4, versículos 15 e 16:

“Porque não temos sumo sacerdote que não possa compadecer-se das nossas fraquezas; antes, foi ele tentado em todas as coisas, à nossa semelhança, mas sem pecado. Acheguemo-nos, portanto, confiadamente, junto ao trono da graça, a fim de recebermos misericórdia e acharmos graça para socorro em ocasião oportuna.” (Hb 4:15-16)

Ele foi tentado à nossa semelhança! Ele conhece sua dor, seus sofrimentos e angústias porque Ele sabe o que é ser homem! Mais que isso, Ele sabe resistir sendo homem. Ele é misericordioso, por isso cremos que Ele nos socorrerá nos momentos de necessidade. Que Cristo seja nosso modelo de resiliência, nosso sustento, nosso guia e nosso alvo. Ele é tudo em nós!

Jovem, espero que este texto tenha lhe ajudado, tenha sido útil para acrescentar esse conceito que pode ser tão benéfico em seu viver. Deixe sua opinião nos comentários, compartilhe conosco seu sentimento ou experiência. Isso sempre nos alegra e ajuda. Em caso de dúvidas ou dicas, entre em contato conosco, ficaremos felizes sempre que pudermos ser úteis.

Deixe seu comentário