Muitas vezes, em nossos dias debaixo do céu,

Não é possível compreender por que certas coisas nos sobrevêm,

Por que há sofrimentos na jornada,

Por que insistem em roubar a nossa paz…

 

Muitas vezes, um golpe vem em seguida de outro,

E quando –  finalmente – vencemos…

Então, outro golpe.

 

Nesses momentos, ao olhar para Cristo,

Ainda que moídos ou pressionados:

Quanta beleza!

 

Não a beleza que veio com o fim de uma dor,

Não a beleza que veio devido à dor,

É simplesmente a beleza que sempre esteve lá.

 

Visualize agora a visão tão deslumbrante!

A visão do Cristo que ressuscitou depois da cruz;

A visão do Cristo que hoje vive e nos deu vida;

A visão do Cristo que está dentro de nós e venceu!

 

Você consegue ver?

Ver a beleza do poder aniquilador que há na rude cruz;

A beleza da vida triunfante que ressuscitou;

A beleza do fluir incessante do Espírito de Deus, da Sua constante presença!

 

Porque, em Cristo,

Ainda que o céu esteja escuro e cinza,

Ainda que a chuva não cesse,

Simplesmente, por olhar para Ele,

O dia torna-se de brisa e sol.

Bastava olhar para Ele;

Basta olhar para Ele!

Estar na Sua presença

Novamente O contemplar…

 

Ó Senhor Jesus, toda beleza está em Ti!

 

Deixe seu comentário