“Tenho visto que toda perfeição tem o seu limite, mas o teu mandamento é ilimitado.” Sl 119:96

A vida é uma constante busca pela plenitude, condição em que nada falta, não existem erros e tudo é belo. Estudos, trabalho, sonhos, prática de atividades físicas, cultivo de amizades, vida familiar e  igreja; enfim, tudo é feito com o maior empenho a fim de se obter a completa satisfação.

Diante dessa busca exaustiva, em determinado momento, todos chegam à mesma conclusão do salmista: toda perfeição tem o seu limite! O brinquedo com que você tanto sonhou quando criança não é mais atrativo. Os desafios do meio acadêmico mostram que ser aprovado na universidade dos seus sonhos não garante a plena satisfação na carreira profissional. Ganhar muito dinheiro definitivamente não traz a felicidade. O relacionamento com a pessoa que você julga ser o amor da sua vida também não traz a plena realização.

A perfeição na Lei de Deus

Somente uma coisa é perfeita e ilimitada: o mandamento de Deus. De fato, todas as vezes que voltamos o coração para a Lei do Senhor, vemos quanto ela é perfeita.

“A lei do Senhor é perfeita e restaura a alma; o testemunho do Senhor é fiel e dá sabedoria aos símplices. Os preceitos do Senhor são retos e alegram o coração; o mandamento do Senhor é puro e ilumina os olhos” (Sl 19:7-8).

Nesse caso, surge uma pergunta: Se somente a Palavra de Deus é perfeita, devemos nos conformar a desfrutar de uma vida imperfeita? A resposta é: Não! Jesus veio até nós com a salvação, cumprindo a lei ilimitada do Pai, a fim de nos levar a ter a realidade de uma vida perfeita, completa e abundante em todos os aspectos. Isso é o que a perfeição do mandamento diz a nós: “Eu vim para que tenham vida, e a tenham em abundância.” (Jo 10:10b). E o próprio Deus espera que sejamos perfeitos. Deuteronômio 18:13 diz: “Perfeito serás para com o Senhor, teu Deus”. E o Senhor Jesus afirma: “Portanto, sede vós perfeitos como perfeito é o vosso Pai celeste” (Mt 5:48).

Desfrutar da perfeição não contradiz a lei de Deus; antes, é o Seu desejo para nós. Mas, se sou imperfeito e estou cercado de coisas imperfeitas, como posso ter tal realidade? A resposta para essa questão pode ser encontrada na abordagem de Gestão da Qualidade, ferramenta aplicada a processos produtivos e utilizada pelas empresas de sucesso do mercado.

A perfeição nas empresas de sucesso

A ideologia da qualidade afirma que “Nada é tão bom que não possa ser melhorado”. Dessa forma, a busca pela perfeição é sinônimo de busca pela Qualidade Total. Esse trabalho árduo e constante de fazer o processo adquirir sempre mais qualidade garante à empresa retornos atrativos, destaque no ambiente onde ela se encontra e cada vez mais perfeição em seu desempenho.

Existem duas formas de se adquirir a Qualidade Total, a tão sonhada perfeição: uma abordagem é o Melhoramento Revolucionário e a outra é o Melhoramento Contínuo, também conhecido como Kaizen, do japonês.

Vamos ver como essas abordagens podem nos levar a conquistar a tão sonhada vida perfeita. Segundo especialistas da área, o Melhoramento Revolucionário consiste em mudança grande e dramática na forma de operação de um trabalho. É raramente barato, demandando altíssimos investimentos e, com frequência, interrompe ou perturba as atividades do setor. É uma filosofia radical que não aceita muitas limitações sobre o que é possível ou não.

Em contrapartida, o Melhoramento Contínuo vê a qualidade como algo adquirido em mais e menores passos, de forma incremental. Não importa se os melhoramentos sucessivos são pequenos; é relevante que, a cada espaço de tempo, algum melhoramento de fato ocorra. Tal abordagem favorece adaptabilidade, trabalho em equipe e atenção a detalhes. Não é radical, mas construído pela experiência acumulada ao se executar algo. Além disso, há confiança nas pessoas que operam o sistema para melhorá-lo, levá-lo à perfeição. De forma sucinta, é como se o Melhoramento Revolucionário fosse uma corrida a curta distância, exigindo do atleta uma performance explosiva impressionante. Já o Melhoramento Contínuo é como uma maratona onde o que importa é permanecer correndo.

Finalmente, como aplicar conceitos desse tipo em busca de maior qualidade em nossa vida? Vamos entender.

A perfeição na nossa vida

Quando o Senhor se encarnou, submetendo-Se a um viver humano limitado, passando pela humilhante morte de cruz e ressuscitando, Ele fez a obra mais revolucionária de nossa vida. O altíssimo preço pago pelo Filho abriu-nos um novo e vivo caminho (Hb 10:19-20). Se antes estávamos destinados à perdição eterna, hoje, ao aceitar a Jesus como nosso Salvador, adquirimos a possibilidade de uma vida maravilhosa, cheia de qualidade. Após essa experiência, podemos estar assentados nas regiões celestiais em Cristo, onde nada nos abala (Ef 2:6).

Mas não podemos achar que o Pai tem “apenas” essa obra revolucionária para nos oferecer. Em Sua misericórdia, Ele quer nos conduzir à plena perfeição, transformar-nos de glória em glória na sua própria imagem (2 Co 3:18). Para isso, precisamos nos submeter ao Melhoramento Contínuo, que ocorre com o desenvolvimento da vida espiritual no viver coletivo da igreja.

Quando permanecemos junto dos que de coração puro invocam o Senhor (2 Tm 2:22), temos a oportunidade de ter um viver cada vez mais perfeito, elevado e ilimitado. Isso ocorre porque a Palavra, que é a única coisa ilimitada, pode operar eficazmente em nós e ser expressa no ambiente imperfeito em que estamos inseridos. Como filhos de Deus, precisamos experimentar o Melhoramento Contínuo da vida da igreja, até atingir a plena filiação (Ef 4:13).

Valorize a obra de Cristo por você. Além disso, não perca nenhuma oportunidade de melhoria que o viver com Cristo, Sua Palavra e a igreja podem oferecer. Seja proativo, desenvolva bem sua função no Corpo de Cristo (1Co 12:27), participe de tantos congressos quanto for possível, aprenda a viver de modo digno da sua vocação, submetendo-se aos tutores e curadores que Deus lhe deu (Gl 4:1-2), tenha companheiros espirituais que ajudem a levar seus fardos, desfrute da Bíblia e dos livros espirituais diariamente, e tenha um viver de oração. Como o viver da igreja inclui, além das reuniões e da batalha espiritual, o viver familiar e social, empenhe-se em ter um caráter humano adequado e cultive relacionamentos saudáveis com todos ao seu redor.

Seguindo esse caminho, um dia a perfeição se concluirá não somente em você, mas em todos os que a buscaram na igreja. Afinal, ser perfeito é andar diariamente na presença do único verdadeiramente perfeito e ilimitado: Deus.

“Eu sou o Deus Todo-Poderoso; anda na minha presença e sê perfeito” (Gn 17:1).

 

Deixe seu comentário