Encontramo-nos em uma época de dificuldades sem precedentes. Diante de uma pandemia global, precisamos de um momento para pensar biblicamente sobre nossa resposta ao COVID-19.

Só tenho um pensamento e o reforçarei neste texto:

tema, mas não dê lugar ao medo.

Essa afirmação pode parecer contraditória, então deixe-me explicá-la.

O medo é um dos bons presentes de Deus para nós. Penso que existem três tipos de temores espiritualmente saudáveis:

  1. Temor a Deus: essa é uma santa reverência ao Todo-Poderoso, vivendo com espanto diante do Rei do universo e em submissão a Ele.
  1. Medo para resposta rápida: essa é a nossa capacidade instintiva de reagir em um momento de perigo. Pense em um pai que espontaneamente entra em ação para proteger seu filho antes de se machucar.
  1. Receio apropriado: isso nos permite ficar sóbrios diante do que estamos enfrentando e, com nossa capacidade de análise dada por Deus, fazemos escolhas sábias e planejadas para proteger a nós mesmos e aqueles a quem amamos.

Deus nos projetou com a capacidade de ter medo, porque Ele nos ama e quer nos proteger.

Tema, mas não dê lugar ao medo

Dar lugar ao medo é uma atitude caracterizada por meditar sobre as dificuldades que estamos enfrentando e esquecer de Deus no processo. Esse medo se revela quando permitimos que nossa mente e coração sejam controlados pelo que era inicialmente um receio apropriado.

A pandemia (ou qualquer coisa que o faça sentir medo) é o que ocupa seu pensamento e você apenas lê e fala sobre isso? Se algum tipo de problema consome sua meditação, quanto maior ele parecer, mais impossível a solução parecerá e mais assustado você ficará.

Neste mundo, você enfrentará perigo, então não é prudente ignorar a realidade. Deus lhe deu a capacidade de se preocupar, portanto, agir como se não houvesse motivo para preocupação não é a solução.

O problema é que sua meditação foi consumida pela dificuldade que você está enfrentando.

Sempre que problemas consomem nossa meditação, é porque, em última análise, nos esquecemos de Deus. Esquecemos que existe um Senhor de glória, sabedoria, bondade, poder e graça que se assenta no trono de seu universo. Nenhuma dificuldade de qualquer espécie – nenhuma pessoa, lugar ou pandemia – pode negar suas boas e gloriosas promessas aos filhos.

Quando você olha na horizontal, as coisas podem parecer totalmente fora de controle. Mas quando você olha na vertical, este mundo está sob cuidadosa supervisão.

Eu digo que entendo a pandemia? De modo nenhum. Até estarmos do outro lado, talvez nunca possamos entender completamente por que Deus permitiria que esse problema entrasse em nossa vida.

Mas sabemos quem Ele é. Sabemos o que Ele pode fazer. Sabemos o que Ele prometeu. Sabemos que Ele é o mesmo ontem, hoje e amanhã.

Neste momento de pandemia global, não deixe sua meditação ser dominada pelo medo, de maneira que você se torne alguém que se esquece de Deus. Não ignore a realidade da situação, não fique constrangido com sua capacidade instintiva de responder rapidamente quando necessário, mas faça planos inteligentes com a preocupação apropriada.

Acima de tudo, nunca pare de temer a Deus.

Tema, mas não dê lugar ao medo.

Deus abençoe,

Paul Tripp

PERGUNTAS PARA REFLEXÃO

  1. O que mais o deixa com medo da pandemia? Por que esse medo é um presente dado por Deus?
  1. Além do coronavírus, o que mais você tem temido atualmente? Você tem permitido que esse problema capture sua meditação?
  1. O que acontece com você espiritualmente quando problemas horizontais consomem seus pensamentos e seu tempo?
  1. Como você pode, de maneira prática, tomar medidas para temer ao Senhor neste momento de crise? Seja específico.
  1. Quem você conhece que sente medo neste momento? Como a Bíblia lida com os medos dessas pessoas? Entre em contato e conforte-as hoje com o evangelho!

Traduzido “It’s Okay To Fear Coronavirus” de Paul Tripp.  


Para informações e orientações práticas a respeito da pandemia do coronavírus, o Instituto Vida para Todos está publicando boletins escritos por um comitê de profissionais da saúde. Novos boletins são publicados constantemente.

Deixe seu comentário