Quem nunca ouviu ou leu essa bela frase: “Um por todos e todos por um”? Ela é conhecida por ser o lema dos Três Mosqueteiros, do romance de Alexandre Dumas, e também é o lema tradicional da Suíça. Mas como podemos aplicá-la no verdadeiro sentido da Páscoa?! Nesse texto a aplicaremos no livro de Êxodo, na passagem que se refere à décima praga e à instituição da Páscoa. Verá que existe um forte significado nessa correlação. Bom desfrute!

Não é de se duvidar que Faraó tinha um coração muito duro, principalmente com os filhos de Deus, os hebreus. Devido a isso, os egípcios sofreram sérias consequências advindas das pragas lançadas e permitidas por Deus. Entretanto, é importante lembrar que mesmo Deus anunciando tais pragas, o povo de Deus não era atingido. Foi necessário que Ele anunciasse dez pragas para fazer com que Faraó libertasse os hebreus do Egito. Porém, tudo aconteceu como Deus esperava.

“Eu, porém, endurecerei o coração de Faraó e multiplicarei na terra do Egito os meus sinais e as minhas maravilhas. Faraó não vos ouvirá; e eu porei a mão sobre o Egito e farei sair as minhas hostes, o meu povo, os filhos de Israel, da terra do Egito, com grandes manifestações de julgamento. Saberão os egípcios que eu sou o Senhor, quando estender eu a mão sobre o Egito e tirar do meio deles os filhos de Israel.”

Êx 7:3-5

Moisés foi constituído Deus sobre Faraó e Arão, seu irmão, era seu profeta (Ex 7:1). Eles trabalhavam em equipe. Tudo que Deus falava com Moisés, ele dizia a seu irmão Arão para que o mesmo falasse com Faraó. Assim como a bela frase soa unanimidade, podemos perceber que entre Moisés e Arão também existia união.

Como Faraó não libertou o povo de Israel quando Deus permitiu que as águas tornassem em sangue, quando ocorreu a praga das rãs, a praga dos piolhos, a praga das moscas, a praga de pestes nos animais, a praga das úlceras, a praga de chuva de pedra, a praga de gafanhotos e a praga de trevas, foi necessário Deus anunciar a décima e última praga: A MORTE DOS PRIMOGÊNITOS. Entretanto, nessa última praga o povo de Deus precisou seguir uma série de orientações, para que eles não fossem atingidos:

“Cada um tomará para si um cordeiro, segundo a casa dos pais, um cordeiro para cada família. O cordeiro será sem defeito.”

Êx 12:3b,5a.

“Tomarão do sangue e o porão em ambas as ombreiras e na verga da porta, nas casas em que o comerem.”

Êx 12:7

Cordeiro e sangue. O que te faz lembrar dessas duas palavrinhas, querido jovem? Podemos dizer que nos lembramos da morte de Cristo, não é mesmo? Ele foi oprimido e humilhado, mas não abriu a boca, como cordeiro foi levado ao matadouro (Is 53:7a). Aqui percebemos a segunda relação existente entre a bela frase e o livro de Êxodo: A morte de um a favor de todos. Cristo morreu para que fosse gerado a vida Dele em nós, através da Suma ressurreição. Se tornou o Espírito que dá vida. Ele se humilhou para que a Sua glória fosse transportada para nós, os pecadores.

Voltando às orientações, era necessário que o povo seguisse exatamente o que Deus havia falado ao povo de Israel. Caso contrário, o primogênito da casa era morto. Essa também foi a instituição da Páscoa:

“É o sacrifício da Páscoa ao Senhor, que passou por cima das casas dos filhos de Israel no Egito, quando feriou os egípcios e livrou nossas casas. Então o povo se inclinou e adorou.”

Êx 12:27

Então, o que é Páscoa? O relato bíblico nos ensina que a casa onde não houvesse a marca do sangue o primogênito morreria. A palavra Páscoa, em hebraico, é “Pessach”, que significa “passagem” ou “passar por cima”. O significado da Páscoa é, portanto, livramento da morte, salvação.

Assim como Cristo salvou todos por meio da sua morte, hoje é necessário que salvemos as pessoas através da Sua Pessoa Viva e do Seu Sangue: TODOS fazendo de tudo POR UM!

“Fiz me fraco para com os fracos, com o fim de ganhar os fracos. Fiz-me tudo para com todos, com o fim de, por todos os modos, salvar alguns.”

1 Co 9:22

Essa era a razão pelas quais as famílias hebréias seguiram as orientações de Deus: Por amarem a Cristo, elas fizeram de tudo para salvar os primogênitos! Aleluia!

Quando amamos o Senhor em primeiro lugar, o primeiro reflexo é amar as pessoas e fazer tudo por elas.

“Nisto conhecemos o amor: Cristo deu a sua vida por nós e devemos dar a nossa vida por nossos irmãos.”

1 Jo 3:16

Por isso, quando cuidamos de pessoas, somos os primeiros a sermos cuidados, já que buscamos constantemente a pessoa de Cristo, através do nosso Espírito, invocando-O profundamente: Ó Senhor Jesus!

Cristo se deu por nós, concedendo-nos a Sua vida e, hoje, por meio dessa vida, podemos salvar as pessoas, livrando-as desse mundo tenebroso, através do sangue de Cristo, que nos lava e nos purifica de todo pecado e morte, e desse Espírito Todo-Inclusivo que habita em nós! Esse é o verdadeiro sentido da Páscoa: levar essa preciosa e única salvação a todos

Resumo do significado da Páscoa:

  • Para os Egípcios a Páscoa significou o juízo de Deus sobre o Egito, através da décima praga: Morte dos Primogênitos.
  • Para os Israelitas significou o livramento da morte, através do sangue do Cordeiro, conseguindo êxito da saída do Egito.
  • Para os Cristãos significou a passagem da morte para a vida eterna, através da morte e ressureição de Cristo. O resultado foi que o Seu Espírito  hoje habita em nós.

Jovem, esperamos que você tenha absorvido os princípios bíblicos extraídos dessa correlação entre a bela frase com as passagens vistas. Invista sua vida na salvação de pessoas. Apresente a pessoa de Cristo e o Seu sangue aos seus amigos e familiares. Nosso espírito nos aproxima de Deus e esse sangue pode nos salvar das forças malignas presentes nesse mundo.

Diante disso, que tal deixar um comentário de como foi sua experiência de salvação? Deus te abençoe! 

“E foram os filhos de Israel e fizeram isso; como o Senhor ordenara a Moisés e a Arão, assim fizeram.”

Êx 12:28

Deixe seu comentário