“Houve, porém, alguns homens que se agregaram a ele e creram; entre eles estava Dionísio, o areopagita, uma mulher chamada Dâmaris e, com eles, outros mais” (Atos 17:34).

Paulo no Areópago, o conselho de Atenas, pregando para os filósofos. Naquele momento, qualquer um poderia pensar: “que grande oportunidade, pregar para pessoas das altas posições da sociedade!”. Contudo, o resultado numérico foi pequeno. Quando começou a falar sobre ressurreição dos mortos, foi interrompido. Alguns riram, outros disseram que o ouviriam mais tarde, mas alguns se juntaram a ele.

Há uma lição significativa que podemos aprender com essa passagem sobre aqueles que permanecem ocultos e que até mesmo não são reconhecidos. Deus os estima muito.

Convertidos são preciosíssimos em tempos de trevas. Lucas, o autor de Atos, nota-os como joias. É especial a maneira como ele se refere aos que creram. Ele fala de alguns e, embora não cite nomes, menciona Dionísio e também se refere a uma mulher chamada Dâmaris. Talvez eles não tivessem seus nomes citados se estivessem entre as multidões que creram no evangelho durante o Pentecostes. Aqueles que ousam crer em Cristo enquanto a grande massa O rejeita são de grande valor para Deus.

É possível dizer que pessoas que confessam Cristo nessas situações são, muito provavelmente, verdadeiros convertidos. Quando o pregador é escarnecido, quando há risco de perseguição, mas ainda assim alguém se junta a ele, nota-se a força e a solidez de tais corações pelo Senhor.

O Espírito Santo e a igreja consideram tais convertidos de maneira especial. No texto temos o honorável nome de “Dionísio, o areopagita”, um dos homens notáveis do conselho. É curioso que, logo após seu nome, esteja “uma mulher chamada Dâmaris”, de quem, mesmo os melhores dicionários bíblicos dizem: “nada se conhece sobre essa pessoa”. A graça de Deus cria “liberdade, igualdade, fraternidade” verdadeiras.

Além disso, há outras lições que podemos aprender a partir da menção de Dâmaris. “Veja que sexo não é impedimento. Como Deus tem abençoado grandemente as mulheres no meio de Sua igreja! Elas foram altamente favorecidas em suas experiências santas e felizes. Se foram as primeiras na transgressão, foram as últimas na cruz e as primeiras no sepulcro”. Mulheres foram as primeiras testemunhas da ressurreição.

Obscuridade também não diminui o valor daquele que crê. Que importa se nada sabemos sobre “uma mulher chamada Dâmaris”? O Senhor tem o nome dela no livro de seus escolhidos. Talvez você não seja talentoso, não tenha riqueza, ou fama. Talvez não seja notado entre os outros. “Mas, se você é um crente, seu nome está escrito no rolo dos exércitos do Senhor e, naquele grande dia, seu nome não será esquecido daquele grande ajuntamento”.

Nada pode diminuir o valor de um crente para o Senhor. O significado de Dâmaris é “pequena mulher”. Na igreja de Deus, há pequenos homens chamados Zaqueus e pequenas mulheres chamadas Dâmaris  e eles são grandes no Reino dos Céus!

“Uma mulher chamada Dâmaris” traz glória a Deus neste momento por causa do pouco que sabemos sobre ela. Por seu ato de fé, hoje ela nos fala sobre sua obscuridade. Spurgeon adverte: “vocês, que são salvos, mas permanecem desconhecidos, não desejem ser conhecidos. Como tantas vezes eu desejaria poder ir aonde quisesse sem ser tratado como uma exibição pública! (…) Todos bisbilhotam até mesmo sua vida doméstica; e falsidades zunem como vespas a sua volta. Não busque publicidade, nem deseje popularidade. Esteja satisfeito em cumprir seu dever e servir a seu Deus sem que nunca ouçam falar de você; pois quanto menos falarem de você e quanto menos você for conhecido, mais pacífica será a sua vida. Se ninguém te elogia, porque você gostaria de ser elogiado?”

“Uma mulher chamada Dâmaris” não perdeu nada por ser desconhecida. Ações santas são estragadas se queremos que elas sejam vistas.  Se você procura o aplauso dos homens, terá sua pobre recompensa. Mas se busca servir ao Senhor e ser visto apenas por Ele, que grande recompensa terá!

“Uma mulher chamada Dâmaris” também nos ensina sobre qual deve ser nossa atitude ao pregar o evangelho. Não buscamos pessoas por serem reconhecidas, ou por possuirem riquezas ou beleza, buscamos aqueles que Jesus Cristo deseja. Assim, como nós mesmos fomos alcançados por sua graça, de maneira independente dessas características, todos são bem-vindos e aqueles que são ocultos também são chamados!

“O que vem a mim, de modo nenhum o lançarei fora” (Jo 6:37).

Adaptado de “A Woman Named Damaris”, Classic Counsels, de Charles Spurgeon. Citações do mesmo livro.

Deixe seu comentário