“Vem, agora, e eu te enviarei” é um livro dividido em seis capítulos e cada um deles é rico, bem desenvolvido e profundo, de modo que tentar resumi-los é um risco de suprimir informações vitais.

O tema principal do livro é o chamamento de Deus. Nas primeiras páginas é apresentada a relação entre o chamado, o serviço e a volta do Senhor, culminando no nosso encontro com Ele. É apresentado que esses três itens estão interligados e são interdependentes.

Desde o primeiro momento, o autor deixa claro que esses itens são para nós. Logo, temos uma grande responsabilidade e ser aprovado naquele dia depende da nossa atitude.

Sobre a nossa responsabilidade

A alma é o centro das nossas emoções, onde estão nossas vontades e a nossa mente, ela é como um vaso (Jr 18:4,6; 2 Co 4:7) que precisa da porção extra de azeite. O azeite é um símbolo para o Espírito Santo. Logo, na parábola das dez virgens, todas têm o óleo nas lâmpadas, no entanto, percebemos que apenas as prudentes o tem nas vasilhas. As néscias, ao perceberem que o azeite que tinham não seria suficiente, pediram emprestado, mas as outras disseram que não podiam emprestar, que elas fossem aos vendedores e comprassem. 

Então, compreendemos que a porção extra de azeite tem um preço que deve ser pago, ou seja, não podemos emprestar a experiência da vida cristã para nosso irmão, nem pegar a dele emprestada. Cada um precisa obter a sua própria.

“De acordo com Mateus 25, em sua vinda, o Senhor verificará se temos azeite em nossas vasilhas (vs. 1-13) e se negociamos os talentos que recebemos (vs. 14-30). Precisamos da percepção de que Ele já nos deu o caminho para nossa aprovação. Então devemos começar a nos preparar imediatamente para o nosso encontro com Deus.”

(MIGUEL MA, 2020, pág. 13)

 Entendendo que temos participação em trazer o Senhor de volta, compreendemos o peso do nosso chamado e da nossa responsabilidade pessoal. Os chamados de Deus precisam de uma condição interior adequada. Não se preocupe, pois não significa um viver impecável, perfeito etc. Não use ou aceite suas debilidades ou fracassos ao executar o serviço como um contraponto à escolha do Senhor, porque quando Ele te chamou já conhecia suas imperfeições e, na verdade, elas são o real motivo Dele ter te chamado.

“Em Romanos 11:29, há um importante princípio com respeito ao chamamento de Deus: “Os dons e a vocação são irrevogáveis”. Essa porção da Palavra deve marcar nossa vida, e jamais devemos esquecê-la. O termo “vocação” significa chamamento. O chamamento de Deus é irrevogável, ou seja, Ele não se enganou ao nos chamar e jamais voltará atrás nessa decisão. Uma vez que recebemos Seu chamamento, ainda que falhemos em determinado momento, Ele jamais o revogará. Esse versículo é nossa garantia. Não fomos chamados por engano.”

(MIGUEL MA, 2020, pág. 21)

 Sobre o chamado

Ser chamado por Deus é um privilégio. Quando o ouvimos, uma porta se abre para nós e, logo, podemos mudar de posição, saindo do mundo e seguindo para o Reino do Filho do Seu amor; e temos um novo sentido, uma nova função, então podemos parar de fazer as coisas do mundo, rompendo qualquer elo com o inimigo de Deus.

“O chamamento de Deus é santo. Ele é totalmente distinto de todos os demais chamamentos que podemos receber. É um chamamento especial, que nos diferencia do restante das pessoas. Enquanto o mundo caminha para a perdição, por ouvir os chamamentos do inimigo de Deus, nós seguimos para o alto. Nosso caminho é diferente porque nosso chamamento é diferente. Desse modo, muitos estão descendo, mas nós estamos subindo. Aleluia!”

(MIGUEL MA, 2020, pág. 34)

Sobre o serviço

Em determinado momento da leitura você pode se sentir um pouco desconfortável (eu me senti) porque a leitura esclarece a necessidade de sair da zona de conforto, de ter uma atitude positiva, de executar o serviço adequadamente. Creio que não foi o autor que me fez ter esse sentimento, foi o próprio Senhor. Por isso, não desisti da leitura e cri que Deus queria falar e gerar em mim uma nova postura.

“…quem está em primeiro lugar? Nós ou o Senhor Jesus? O Senhor daquele servo que acabara de chegar do campo lhe disse para preparar a ceia e servi-lo, enquanto comia e bebia, para só depois tomar sua refeição. Certamente o servo estava faminto, mas não se colocou antes de seu senhor. Em termos práticos, o que tem acontecido em nossa vida? Atendemos primeiramente às nossas necessidades e depois nos preocupamos com as necessidades do Senhor, ou Ele vem antes de nós? A palavra de Deus expõe nossa condição e o que somos. Os que pensam em si mesmos em primeiro lugar não servem a Cristo, mas ao seu próprio ventre (Rm 16:18).”

(MIGUEL MA, 2020, pág. 61)

Sobre a meta

Eu senti que a mensagem apresentada é completa, atemporal e para todos os filhos de Deus, porque todos nós fomos chamados para O servir. Portanto, precisamos conhecer os fundamentos e a meta desse serviço:

“Por sua misericórdia, Deus nos concedeu a chance de cooperarmos com Ele. Contudo o que deve ser produzido não é o que nós queremos, mas o que Deus quer. Precisamos ter essa visão. Primeiramente, Ele deseja alcançar sua meta em nós, individualmente, para, então, cumprir Seu propósito coletivamente na igreja.”

(MIGUEL MA, 2020, pág. 63)

 A vontade de Deus é trazer o Seu reino e a realidade dele para a Igreja. O Senhor não deseja que façamos coisas aleatórias para Ele, ao contrário, Ele quer que O obedeçamos, que atentemos para a Sua palavra. A obediência nos aproxima do reino enquanto que a desobediência tira o reino de nós.

“…estamos servindo a Deus para que todos cheguemos à realidade do reino e à edificação do Corpo de Cristo. A edificação inclui todos os filhos de Deus, e ninguém deve ficar de fora. Servimos ao Senhor porque nosso desejo é crescer, avançar e, juntos, chegar à meta.”

(MIGUEL MA, 2020, pág. 70)

 Considerações finais

Com certeza, eu recomendo a leitura desse livro! Vale muito a pena! Meu modo de pensar mudou, a minha responsabilidade pessoal foi exposta e a importância da igreja no cumprimento do plano de Deus ficou mais clara para mim. Tudo o que foi apresentado é pontual com a Bíblia e com o propósito de Deus. Esse livro não é do tipo que fala apenas sobre fazer coisas para Deus, mas do que traz luz ao nosso interior, levando-nos a refletir sobre nossa condição, desembaça nossa visão e aponta o resultado do nosso serviço.


O livro pode ser adquirido neste link.

Ficha técnica:

Autor: Miguel Ma

Páginas: 80 págs.

Editora Árvore da Vida.

Deixe seu comentário