“Jesus viu Natanael aproximar-se e disse a seu respeito: Eis um verdadeiro israelita, em quem não há dolo! Perguntou-lhe Natanael: Donde me conheces? Respondeu-lhe Jesus: Antes de Filipe te chamar, eu te vi, quando estavas debaixo da figueira. Então, exclamou Natanael: Mestre, tu és o Filho de Deus, tu és o Rei de Israel! Ao que Jesus lhe respondeu: Porque te disse que te vi debaixo da figueira, crês? Pois maiores coisas do que estas verás. E acrescentou: Em verdade, verdade vos digo que vereis o céu aberto e os anjos de Deus subindo e descendo sobre o Filho do Homem” (João 1:47-51).

Graça abundante!

O Senhor conhece você! Ele o conheceu antes de você se dar conta de onde estava. Ele viu você com olhos de amor. Consegue imaginar isso? Os olhos do Criador estavam voltados para você, antes que o “haja” (Gn 1:3) tivesse sido dito, Ele desejou você para Si. Para Ele era incabível a ideia de completar a obra sem você. Com toda sua pequenez e fragilidade, você foi alvo da atenção Dele. Você e eu fomos predestinados em amor (Ef 1:4b-5). Compreende o significado disso? Não éramos filhos nem merecedores dessa posição, mas Deus tinha a certeza que um dia seríamos Seus filhos. Somos Seus escolhidos. Somos fruto de uma escolha que não foi feita na cruz, mas antes da fundação do mundo (Ef 1:4).

Você crê? Preste bem atenção, pois coisas maiores do que estas você verá! Somos filhos de um Deus cheio de plenitude e de abundantes riquezas (Ef 2:4) que, juntas, formam a natureza Dele, a qual também nos enche e transborda de alegria e abundância de paz (Jo 1:16). Se o fato de você ser predestinado, escolhido a dedo, conhecido pelo nome e chamado pelo Criador já o alegra e enche de esperança, imagine saber que não para por aí! Deus é capaz de abrir os céus para nós. Mas lembre-se que não ganhamos isso por mérito, mas por causa da graça abundante (Rm 5:20).

Isso é graça; Cristo dado a você sem preço a pagar (Is 55:1; Jo 7:37-38).

Preparar o caminho

A todos os filhos de Deus, foi comissionado o “ide” (Mc 16:15). Precisamos falar daquilo que temos crido e experimentado, mas Deus espera algo além disso. Antes de falar para alguém sobre o grande amor de Deus e tudo o que Ele gera em nós, o Senhor deseja que pratiquemos esse amor com “esse alguém”. É nossa responsabilidade apresentar pessoas ao Senhor pela oração. Essa é a melhor maneira de “preparar o caminho do Senhor” (Mc 1:3).

Por meio da oração, o Senhor age, abre e amolece corações. Ele transforma obstáculos em pontes, situações impossíveis em possíveis, cria oportunidades, ilumina e traz vida, torna sensíveis olhos e ouvidos, faz cair todo véu que impede a todos de vê-Lo. Ao orarmos por quem desejamos que receba o Senhor, precisamos pedir um coração puro, sem preconceito, que não julgue a condição das pessoas, mas que ame. Deus não nos pede coisas impossíveis, mas alcançáveis. O impossível cabe a Ele. Nosso dever é orar, nos aproximar das pessoas, ser mais humanos.

“Ou desprezas a riqueza da sua bondade, e tolerância, e longanimidade, ignorando que a bondade de Deus é que te conduz ao arrependimento?” (Romanos 2:4).

Jovem, consegue ver que o que leva as pessoas ao arrependimento é a bondade de Deus? Tenha sempre esse pensamento! O essencial aqui é nos revestir da bondade e misericórdia de Deus (Cl 3:12). Precisamos atentar para o desespero que Ele tem de alcançar as pessoas com Sua bondade e misericórdia. É através de nós que Ele deseja se expressar, cativando e conduzindo muitos ao arrependimento. Deus foi tão rico em misericórdia que estendeu os braços através da graça para nos dar vida (Ef 2:4-5). Em nós não há bem algum, só Ele é bom! É Nele que vamos estar firmados e é por Ele que vamos ser guiados até aqueles que precisam de uma dose de bondade para verem Cristo. Seja um canal de bondade e um braço estendido de misericórdia na vida de alguém!

“Assim brilhe também a vossa luz diante dos homens, para que vejam as vossas obras e glorifiquem a vosso Pai que está nos céus” (Mateus 5:16).

Seja também a luz! Ilumine o caminho para quem anda em trevas e não tem conhecimento disso. Na escuridão, toda luz, lâmpada ou lanterna são úteis. Já teve a experiência de estar em um ambiente sem qualquer iluminação, com apenas uma lanterna em mãos? Você nunca aponta a luz para o próprio rosto, mas para o caminho. Isso não só ajuda você a enxergar, como a todos que se encontram perdidos, tateando no escuro. Você é luz (Mt 5:14). Você é filho da luz (Tg 1:17; Ef 5:8-9). Mostre a realidade de Cristo por meio da sua luz.

“Como o Pai me amou, também eu vos amei; permanecei no meu amor” (João 15:9).

Ame a todos! Deus é amor e esse amor não se limita. Nenhuma explicação humana pode definir esse amor ou selecionar pessoas a serem amadas. Enquanto vivermos nesta terra, encontraremos pessoas diferentes de nós, mas devemos amá-las. A religião, modos de pensar, condição financeira e tantas outras “bagagens” que as pessoas carregam, não podem ser barreiras para o amor ou uma parede entre nós e elas, porque o amor une perfeitamente todas as coisas (Cl 3:14). Não podemos tentar impor algo para as pessoas ao nosso redor, o mundo já faz isso e é disso que elas estão cansadas e sufocadas.

“Os preconceitos que adquirimos nos impedem de ter livre comunhão com Deus e com os homens. Devemos ser levados a perceber que a comunicação e a comunhão são as melhores armas contra os preconceitos, pois enfraquecem os julgamentos apressados e cruéis, abrindo caminho para o exercício do amor”. (Extraído do livro “Crescer de Modo Digno, Famílias”, publicado pela Editora Árvore da Vida).

Pare e olhe nos olhos das pessoas, sem julgamento. Ouça as perguntas que elas estão fazendo. Veja as necessidades que estão passando. De maneira simples, apresente Cristo e leve-as a reconhecer que elas precisam somente Dele.

Por fim, veja o exemplo de Felipe e Natanael, citado logo no início. Antes mesmo de Felipe chamar Natanael, o Senhor já o havia visto. Jovem, por isso é tão importante orar pelos nossos amigos, parentes e colegas. Quando oramos, o Senhor vê as pessoas. Imagine que impactante é alguém, após receber o Senhor, sentir no seu íntimo a voz de Deus: “Antes de – insira aqui seu nome – te chamar, eu te vi.” Creia, pois isso pode acontecer a partir do momento que você orar!

Liste o nome de dez pessoas e lembre-se de sempre orar por elas. Espero que Deus dê a você experiências marcantes.

Deixe nos comentários algo que o encorajou e compartilhe com seus amigos aquilo que mais ganhou você na leitura!

Deixe seu comentário