Texto Inspirado no livrete: O Casamento dos Sonhos… de Deus! da Editora Árvore da Vida 

Falar sobre casamento hoje em dia é bem polêmico, mas se nos voltarmos ao real sentido e origem do casamento, não há o que questionar. Por isso, vamos ver um pouco do que a Bíblia diz sobre esse assunto.

A IMPORTÂNCIA DO CASAMENTO

Logo no princípio da palavra de Deus vemos a construção do relacionamento entre o homem e a mulher, o casamento.

“Disse mais o Senhor Deus: Não é bom que o homem esteja só; far-lhe-ei uma auxiliadora que lhe seja idônea” (Gn 2:18).

Este versículo mostra o sentimento de Deus em relação ao viver conjugal. Deus ama a família, Ele que a criou e fez isso com um propósito a ser cumprido, como diz em Gênesis 1:28:

“E Deus os abençoou e lhes disse: Sede fecundos, multiplicai-vos, enchei a terra e sujeitai-a, dominai sobre os peixes do mar, sobre as aves dos céus e sobre todo animal que rasteja pela terra”.

Em contrapartida, Satanás, não satisfeito, corrompeu o casal que Deus criou. Vemos isso no capítulo três de Gênesis. Essa atitude do inimigo de Deus só vem confirmar a importância de um casal que agrada ao coração de nosso Pai. Pois por que ele se importaria em destruir algo que não lhe fosse prejudicial? Portanto, se Satanás sabe o valor de um casal unido por Deus, muito mais nós, filhos de Dele, que O amam, precisamos valorizar essa união que o Senhor criou.

Hoje vemos ainda o empenho de Satanás em destruir os casamentos e famílias. O divórcio se tornou comum, mas não é normal, Deus nos afirma que a união conjugal é para sempre (Mt 19:3-10). Nós, cristãos, precisamos defender a conservação da família, hoje tão abalada e cada vez mais frágil. Uma atitude a ser tomada principalmente pelos jovens é seguir os exemplos deixados na Palavra de Deus sobre como se preparar e ser um esposa ou marido segundo o coração de Deus.

ISAQUE E REBECA

Quero falar hoje de uma linda história de amor contida na Bíblia e que pode servir de grande ajuda e encorajamento para muitos dos que desejam o casamento. Na história deles veremos como Deus age, Ele não se limita ao que vemos, nem às regras e conceitos humanos, nosso Deus vai além, muito além.

Você já deve ter se perguntado: Com quem irei me casar? Com aquele(a)? Ou aquele(a) outro(a)? Os pais também costumam se preocupar com os futuros cônjuges de seus filhos. Amados, não podemos nos entregar à ansiedade, pois ela, muitas vezes, nos faz procurar com os olhos naturais aquilo que só os olhos espirituais podem ver.

Vamos conhecer agora quem foram Isaque e Rebeca e como Deus agiu na vida deles.

Você já deve ter ouvido falar na história de Abraão e Sara, a parte que vou falar começa em Gênesis 15. Vamos lembrar um pouco: Deus prometeu dar a eles um filho mesmo depois que já eram velhos e mesmo Sara sendo estéril. Deus também prometeu que faria de Abraão uma grande nação. Então, o filho prometido por Deus veio e foi chamado de Isaque. Porém, para que o Senhor cumprisse Sua promessa Isaque precisava crescer, casar-se e ter filhos, ou seja, formar uma família.

Existia uma diferença na vida de Isaque: o ambiente em que cresceu era saudável. Isso porque seu pai era um homem que aprendia a cada dia a crer mais em Deus e que aprendeu a confiar no Senhor. Com isso, Isaque tinha um bom exemplo em casa. Outro exemplo era sua mãe, que respeitava tanto seu marido que o chamava de senhor (1Pe 3:6). Isaque aprendeu a confiar em Deus e a ser submisso a Ele.

DICA: Nós, hoje, mesmo que não tenhamos bons exemplos em casa, temos a palavra de Deus repleta deles.

Quando Isaque cresceu, se tornou um jovem maduro e precisava se casar. E sabe o que ele fez? Nada. Quem fez foi seu pai.

“Era Abraão já idoso, bem avançado em anos; e o Senhor em tudo o havia abençoado. Disse Abraão ao seu mais antigo servo da casa, que governava tudo o que possuía: Põe a mão por baixo da minha coxa, para que eu te faça jurar pelo Senhor, Deus do céu e da terra, que não tomarás esposa para meu filho das filhas dos cananeus, entre os quais habito; mas irás à minha parentela e daí tomarás esposa para Isaque, meu filho” (Gn 24:1-4).

Nesses versículos vemos um servo de Deus, que era Abraão, tratando com muita seriedade a questão do casamento. Abraão pediu ao servo que mais confiava, para cumprir a missão de buscar a esposa de Isaque. Será que tratamos esse assunto com a mesma seriedade? Será que levamos um viver de submissão e fé a ponto de, no momento certo, saber exatamente qual a vontade do Senhor quanto a nosso casamento? Precisamos ser criteriosos. Casamento não é brincadeira. Pelo contrário, ele foi estabelecido para cumprir a vontade de Deus na terra, por isso não podemos ter um viver desleixado e tratar o relacionamento como algo descartável.

Outro ponto importante a observar nesses versículos é que o cônjuge precisa ser da “parentela”, ou seja, da mesma família. Nesse caso, da família de Deus, nascidos do mesmo Deus, que fala a mesma língua e que sabe o propósito do casamento, que não é só satisfazer um ao outro, mas, principalmente, satisfazer o próprio Deus. O casamento com alguém que não tem a mesma visão é buscar luta e problemas, pois visões diferentes causam conflitos sérios. Isso é jugo desigual. Não é isso que Deus quer. Ele deseja que tenhamos harmonia em nosso lar, que façamos o certo, o adequado.

Na continuação do texto bíblico o servo de Abraão o questiona sobre a possibilidade da noiva não querer ir com ele ao encontro de Isaque para se casar. Porém Abraão, muito sábio, o respondeu dizendo que Deus mandaria um anjo a frente e prepararia uma esposa para Isaque e que, se assim não fosse, o servo estaria livre do juramento (Gn 24:5-8). Quanta fé!

O servo também perguntou se deveria levar Isaque até a mulher, porém Abraão não queria que seu filho fosse até aquela terra que era idólatra. Jovem, você está indo até o mundo procurar alguém para um casamento? Não faça isso. Quem prepara a pessoa certa e a leva até você é o Senhor. Preocupe-se em SER preparado pelo Senhor, para que no futuro, no momento que Ele quiser, você tenha um casamento saudável e evite traumas e problemas graves que só maculam o propósito de Deus pra você.

AH… A TAL PAIXÃO

Lembra que eu falei sobre ansiedade? Pois então, há algo que se chama paixão, que causa muita ansiedade e acaba levando a tomada de decisões precipitadas. Não deixe que isso aconteça, não busque conselho com pessoas imaturas e nem mesmo faça o que acha, movido por suas emoções. Tenha sempre comunhão com irmãos maduros e busque orientação. Muitos são os jovens que erram por não buscarem a ajuda correta no momento das escolhas.

QUEM É MADURO, ORA


Continuando a história, o servo de Abraão absorveu as orientações de seu senhor e seguiu viagem. Fora da cidade sabe o que ele fez? Orou (Gn 24;11-13).

Ele não queria errar e ali onde estava teriam várias mulheres que iriam tirar água do poço. Ele foi sábio e orou para não fazer a escolha de si mesmo. A oração nos indica o caminho, nos indica a vontade de Deus.

No versículo 14 ele ainda pede um sinal, a mulher que lhe oferecesse água e também oferecesse saciar a sede de seus camelos, essa seria a escolhida.

AS CARACTERÍSTICAS DE REBECA

Ele ainda orava quando apareceu Rebeca, que era alguém especial. O servo reconheceu isso e foi ao seu encontro. Ele a pediu água e ela agiu como ele havia falado com o Senhor (versículos 15-21).

Rebeca tinha características peculiares. Ela era formosa, prestativa, disposta, virgem. Ela tinha o dom de servir e não era preguiçosa, pois deu água aos camelos sem que lhe fosse solicitado, tarefa que, com certeza, não era tão fácil.

Outro aspecto importante, a formosura dela. Provérbios 15:13 diz que o coração alegre aformoseia o rosto. Você, mulher, acha que o que te faz bela é a maquiagem e roupas bonitas? Ledo engano. Nem tampouco o se insinuar para os rapazes a faz bela. Agora, também vocês homens, não são seus músculos e nem seu tipo de vestimenta que vai te tornar especial e bonito.

Aqueles que têm em seu coração o desejo de constituir uma família de acordo com a que Deus nos diz, não devem dar tanta importância a aparência. Isso é apenas um detalhe. O que é decisivo ao escolher alguém é a consagração, desfrute, crescimento espiritual e amor a Cristo. Alguém com essas características é belo e atrai o melhor tipo de pessoa, atrai aquele que foi separado por Deus para você.


VOCÊ ESTÁ SENDO OBSERVADO

Como tem sido sua postura diante de Deus? Diante dos irmãos da igreja? Diante dos seus familiares?

A sua postura define o tipo de pessoa que você atrai. Tenha a postura correta, de acordo com a palavra, e será observado por alguém especial. Não pense que não está sendo observado. Alguém pode estar avaliando se você é a pessoa separada por Deus para viver um casamento com ele.
Essa pessoa quer saber se você é a resposta da oração dela.


Em cada atitude você pode plantar boas ou ruins impressões e assim aproximar ou afastar alguém
. Mas não baseie suas atitudes só por querer agradar alguém, seja correto diante de Deus para agradá-Lo. Se agradar ao Pai, com certeza agradará a seu futuro companheiro ou companheira.

ELA PASSOU NO TESTE

Continuando a história… o servo aprovou as atitudes de Rebeca e a deu presentes. Também pediu para que o hospedassem em sua casa perguntando se havia espaço e quem era seu pai (vs. 22-25).

Algo importante a observar é que Rebeca logo ofereceu abrigo ao servo, mostrando que seu pai depositava confiança nela a ponto de permitir que ela tomasse decisões como essa. Provavelmente essa confiança foi conquistada em razão do caráter da moça. Mais um ponto para ela!

CARACTERÍSTICA DE UM SERVO: GRATIDÃO AO SENHOR

O servo ficou admirado com Rebeca. Ela tinha tantas qualidades que ele bendisse ao Senhor (vs. 26-27). Precisamos ser gratos ao termos nossas orações atendidas. Mesmo que a resposta de nossa oração seja um NÃO, ainda assim é motivo de alegria, pois significa que o Senhor está cuidando de nós. Então agradeça, pois isso agrada ao nosso Deus e mostra que já alcançamos alguma maturidade espiritual.

APROVAÇÃO DE TODOS: INDÍCIO IMPORTANTE

Rebeca, por sua vez, correu aos de sua casa para contar tudo que havia ocorrido. O servo explicou para Labão, irmão dela, e para Betuel, o pai deles, o que tinha ido fazer lá. E sabe o que ambos disseram? “Isto procede do Senhor, nada temos a dizer fora da sua verdade” (vs. 28-50).

Princípio importante: aprovação dos pais. Não cometam um erro muito comum dos jovens, que é a independência. Sejam cautelosos em tudo, se cercando de todos os lados. Os pais e irmãos responsáveis zelam em oração por nós, por isso devemos honrá-los e pedir conselhos e a bênção.

MENINA, PONHA O VÉU!

Bom, todos concordaram, até mesmo Rebeca. Ela juntou seus pertences, despediu-se de sua família e foi com o servo. Ao chegarem no destino final, Rebeca avistou Isaque e quando viu que ele se aproximava, cobriu-se com o véu (vs. 65). Repare nessa atitude dela. Rebeca não se descobriu a fim de mostrar-se, mas foi recatada a ponto de se cobrir.

Ela colocou em prática o que diz nos versículos 3 ao 7 de Primeira aos Tessalonicenses 4:

Pois esta é a vontade de Deus: a vossa santificação, que vos abstenhais da prostituição; que cada um de vós saiba possuir o próprio corpo em santificação e honra, não com o desejo de lascívia, como os gentios que não conhecem a Deus; e que, nesta matéria, ninguém ofenda nem defraude a seu irmão; porque o Senhor, contra todas estas coisas, como antes vos avisamos e testificamos claramente, é o vingador, porquanto Deus não nos chamou para a impureza, e sim para a santificação”.

Sentiram o peso dessas palavras? Pois é, então as tomemos como instrução e princípio.

Outra coisa que o véu representa é a submissão. Rebeca reconhecia que Isaque encabeçaria o casamento, portanto a cabeça dela precisava sair de cena. Entenderam? Legal, não é? Sigamos o exemplo dessa jovem sábia.

PACIÊNCIA, JOVEM! PACIÊNCIA!

Prosseguindo, agora quero falar de tempo. Não sabemos quanto tempo Rebeca esperou, creio que se fosse tão importante essa informação, então, com certeza, constaria na Palavra. Porém não está lá.

Portanto quero dizer para vocês, não se preocupem com tempo de espera. Preocupem-se com suas atitudes, sua postura e seu relacionamento com Deus, pois esses itens mostrarão se estamos prontos ou não pra receber a pessoa preparada por Deus para nós e, assim, termos um casamento que agrade ao Senhor. Seja paciente e deixe Deus trabalhar em você e tudo acontecerá naturalmente.

DEUS SABE ESCOLHER, DEIXE COM ELE!

Mais um detalhe: confie na escolha de Deus. Aliás, não confie no seu próprio poder de escolha, pois nós não conhecemos nem a nós mesmos, quanto mais ao próximo. Seja simples como Rebeca, que teve certeza de que Deus havia cuidado de tudo. Ele sabe o que você precisa, o que você suporta e o que você gosta. E tenho certeza que nosso Pai, assim como um pai que fica feliz em agradar um filho que lhe agrada, muito mais o nosso Senhor.

Deixe-me falar um pouco da atitude de Isaque. Podemos ver nos relatos bíblicos que ele era alguém tranquilo e nessa questão do seu futuro casamento ele mostrou que confiava em seu pai. Aplicando à nossa experiência, Abraão representa Deus, que é quem escolhe o melhor para nós. Sejamos obedientes e submissos como Isaque, ao nosso Deus, reconhecendo o trabalhar Dele em nós e para nós. Enquanto esperava por Rebeca, Isaque meditava no campo. Olha que atitude linda! Não se deixem levar pela ansiedade. Aguardem em oração.

CONCLUSÃO


Pra terminar, Isaque e Rebeca se encontraram, ocorreu o casamento e Isaque a amou (vs. 66-67). 
Ou seja, tudo perfeito. Jovens, desejem isso para vocês. Busquem, em Deus, serem pessoas iluminadas, puras e cheias dessas características desse lindo casal.

A palavra de Deus é cheia de orientações, um manual completo de comportamento. Sejamos sábios, jovens diferentes, que agradem a Deus e formem casais que expressem a Cristo nesta era. Casais com quem Deus pode contar para confiar conservos.

É isso que eu tinha para falar pra vocês, pessoal, espero ter conseguido expressar o sentimento que o Senhor me deu em alertá-los e ajudá-los quanto a terem um casamento dos sonhos… de Deus!