Agradeço ao Senhor pelas pessoas que Ele coloca na minha vida como forma de me ajudar na fé.

Esse texto foi, simplesmente, o resultado de uma conversa informal que tive com uma amiga, ou melhor, com uma companheira espiritual que tenho na faculdade.

Meus olhos se abriram e pude enxergar outro ponto de vista que jamais tive ao ler a história de Jonas.

Enquanto conversávamos sobre experiências que já tivemos com o Senhor, ela começou a contar uma situação que passou, relacionando com a história de Jonas. Pensei comigo: “Mas o que isso tem a ver? Já sei a história dele… É aquele que foi engolido por um grande peixe!”, na mesma hora que tive tal pensamento, ela falou: Muitos acham que a história de Jonas se resume ao fato de ele ter sido engolido por um grande peixe, mas não foi só isso. Conforme ela falava, pude perceber o quanto me parecia com ele.

Jonas foi um profeta que exerceu seu ministério no governo do Rei Jeroboão II, início do século VII ( 793 a 753 a.C).

Deus ordenou a Jonas que fosse à cidade de Nínive, na Assíria, para conduzir o povo à salvação (Jn 1:1,2), mas ele não foi. Antes, fugiu da presença do Senhor e seguiu um caminho contrário, indo para Társis (Jonas 1:3).

1ª Semelhança: quantas vezes o Senhor me ordenou algo e eu simplesmente fugi?

Diante da desobediência de Jonas, ele embarcou para Társis e foi perseguido por uma grande tempestade, a ponto do barco quase afundar. (vs 4). Jonas sabia que tudo aquilo estava acontecendo devido à sua atitude rebelde (vs 7-9).

2ª Semelhança: quantas vezes situações adversas acontecem na minha vida devido a uma atitude inadequada que tive contra o Senhor?

Jonas, então, foi lançado ao mar, como havia sugerido aos marinheiros, para que aquela tempestade não os prejudicasse (vs 15).

Após cair no mar, um grande peixe o engoliu, dentro do qual ficou 3 dias e 3 noites (vs 17).

Enquanto estava naquele grande peixe, Jonas se arrependeu da  atitude que tomara(Jonas 2). Após o peixe vomitá-lo em terra, Deus novamente chamou Jonas para ir a Nínive e dessa vez ele foi, obedecendo ao chamado do Senhor (Jonas 3:3).

Jonas começou a percorrer a cidade anunciando a destruição de Nínive em 40 dias (vs 4), dizendo que nem homens nem animais deveriam comer coisa alguma. Todos deveriam se cobrir com pano de saco e clamar fortemente a Deus, convertendo-se a Ele, para que, assim, pudessem ser apartados do furor da ira de Deus (vs 7-9).

“Viu Deus o que fizeram, como se converteram do seu mau caminho; e Deus se arrependeu do mal que tinha dito lhes faria e não o fez.” Jn 3:10

Jonas se arrependeu, foi livrado e, então, usado por Deus. Mas toda aquela situação poderia ter sido evitada se tivesse sido fiel ao Senhor desde o princípio.

3ª Semelhança: quantas vezes não entendo o agir do Senhor e vivo em murmurações? Quantas vezes feri o Senhor em palavras nos meus momentos de insatisfação?

O fato de Deus ter poupado Nínive deixou Jonas profundamente irritado (Jn 4:2), pois os assírios representavam uma ameaça para a nação de Israel. Por esse motivo é que ele havia fugido no início. O descontentamento foi tamanho que o profeta Jonas pediu que Deus tirasse a sua vida (Jn 4:3).

Deus, então, mais uma vez deu uma lição em Jonas. Fez crescer uma planta que lhe deu sombra, deixando-o muito feliz. No dia seguinte, Deus mandou uma lagarta atacar a planta e ela foi rapidamente destruída. Mais uma vez o profeta Jonas ficou irritado e pediu para morrer.

Usando esse exemplo, Deus mostrou  ao profeta quão injusta era sua atitude, pois tivera compaixão de uma simples planta que lhe trazia conforto, mas se irritara com o fato de Deus ter manifestado  piedade pelo povo de Nínive (Jn 4:6-11).

4ª Semelhança: quantas vezes não tenho piedade das pessoas que o Senhor confiou a mim para que eu pudesse conduzi-las a Ele? Quantas vezes desisti de cuidar das pessoas por causa do meu egoísmo?

Passei alguns dias refletindo sobre as palavras que ela tinha compartilhado comigo e não parava de pensar: Como posso ser tão parecida com Jonas? Como posso pensar só em mim? Como posso não lembrar das pessoas? Confesso que me sentia cada vez mais envergonhada.

A tendência natural do ser humano é ser egoísta. Pensar somente nele mesmo. Reler o livro de Jonas, me fez sentir mais vergonha ainda. Mas graças ao Senhor pelo consolo que só Ele pode nos dar. Em cada versículo que eu lia, era como se Cristo me dissesse: “A história de Jonas já terminou, já se foi. O final da sua história dependerá de você. Arrepende-te e torna-Te para Mim! Ainda há tempo para um novo começo na sua vida.”

Como está sua história com Cristo? Não importa sua condição hoje, “lembra-te, pois, de onde caíste, arrepende-te, e volta à prática das primeiras obras” (Ap 2:5). Ainda há esperança para você! Ainda há esperança para nós!

Obrigada Papai!

Deixe seu comentário