Cântico dos Cânticos apresenta-nos uma história maravilhosa de um casal perfeito: Salomão e Sulamita. Mais do que uma simples história, esse livro mostra-nos o grande amor de Deus por Sua Amada noiva: a Igreja, representados por Salomão e Sulamita.

A Igreja não é um local fixo, mas é o corpo de Cristo (Cl 1:24)! Este corpo é formado por vários membros (Ef 5:30) e cada membro é um amado irmão. Você que recebeu o Senhor como seu Salvador, é um membro do corpo de Cristo. Você é a Igreja! Portanto, a Sulamita de Cânticos representa a Igreja no aspecto coletivo, mas cada um de nós também é a Sulamita no aspecto individual.

Nesse texto, querido jovem, vamos abordar alguns pontos do livro de Cântico dos Cânticos relacionados à nossa vida como jardim particular de Deus. Se você ainda não leu o livro de Cântico dos Cânticos todo, encorajo a desfrutar dele! São apenas oito capítulos com conteúdo riquíssimo. Após ler, com certeza você ficará ainda mais tocado pelo amor de Cristo! Seu amor é incomparável!

Rosa de Sarom e Lírio dos Vales

Então, começamos citando o início do versículo 1 do capítulo 2, onde a Sulamita afirma: “Eu sou a rosa de Sarom(…)”.

A rosa é uma flor muito delicada, com pétalas macias, com suave fragrância e que representa de forma forte, o amor. Ela tem muitas características positivas, mas também tem espinhos.

Contudo, quando Sulamita disse que era uma rosa, provavelmente ela não o fez de forma negativa, pensando nos espinhos, mas tendo em mente a maravilha que essa flor é. Na nossa experiência, muitas vezes quando olhamos para nós, ao invés de lembrarmos os nossos aspectos positivos, focamos nos espinhos que temos (nos nossos defeitos).

Não conseguimos perceber, em certos momentos, o quão valiosos somos para nosso Amado, as qualidades que Ele nos deu e o quanto Ele nos ama! Seus olhos para nós são olhos de amor e de muita misericórdia! Sulamita disse, com convicção, que era uma rosa e durante os demais capítulos de Cânticos ela expressa pensamentos positivos a seu respeito. Ela sabia que era verdadeiramente amada e valorizada pelo seu amado Salomão! Somos verdadeiramente amados por Cristo! Isso vai muito além de sentirmo-nos amados, pois os sentimentos muitas vezes nos enganam dizendo-nos o contrário. Sermos amados por Cristo é simplesmente uma maravilhosa realidade! Apesar das nossas dificuldades, Ele não vê defeito em nós! Podemos declarar com convicção: “Deus não vê defeito em mim!”.

“Tu és toda formosa, querida minha, e em ti não há defeito.” Ct 4:7

Ainda no versículo de Ct 2:1, Sulamita diz que é também: “(…) o lírio dos vales.” Como continuação, no versículo 2, Salomão complementa: “Qual lírio entre os espinhos, tal é a minha querida entre as donzelas.”. É de suspirar ouvir tais palavras! O lírio é uma flor muito singela. Ele é lembrado como flor que remete à pureza – e pureza é algo muito importante no relacionamento com o Senhor (2 Co 11:3).

Essa flor especial tem uma substância chamada feniletilamina que estimula a produção de endorfina pelo organismo humano, o que nos traz tranquilidade e bem-estar. O Senhor sente prazer tendo a nossa presença!! É muito especial ver que Ele nos compara a itens tão maravilhosos da sua criação!

Eu como Jardim fechado de Deus!

Além de sermos comparados a flores do Senhor, somos também o Seu Jardim fechado por completo!

Jardim fechado és tu, minha irmã, noiva minha […]” Ct 4:12

Somos Jardim, mas Jardim fechado! A palavra “fechado” indica restrição. Um jardim não é uma praça, não é um bosque, não é um parque de diversões. Um jardim é um lugar exclusivo. Em um jardim particular (onde não se tem objetivo de vender o que a terra produz), o jardineiro não fica ali negociando com clientes, nem permite que seja aberto em certo horário para passeios de pessoas estranhas. No jardim, o jardineiro descansa! No jardim, o jardineiro tem prazer de estar. Ele respira profundamente, sonha, alegra-se, orgulha-se do trabalho de suas mãos, admira a beleza da sua propriedade, se delicia com os frutos que a terra produz. Da mesma forma, nosso Amado Senhor sente-se muito à vontade em ter a nossa presença! No jardim Ele pode “mudar as flores de local”, “colher os frutos”, “preparar a terra para plantar mais árvores”. Ele pode descansar, ter prazer em olhar-nos, admirar-nos… Foi caro (1 Co 6:20, 7:20) para O Senhor ser o proprietário do nosso ser! Fomos comprados pelo Seu precioso sangue!

Às vezes pode ser difícil de entender quando as pessoas que cuidam de nós (pais, líderes espirituais) nos impedem/orientam sobre não ir a certos lugares, andar com certas pessoas. Mas essas atitudes estão cheias de amor! É por quererem o nosso bem que eles nos protegem dessa forma. Essa proteção que recebemos é usada pelo Senhor para guardar-nos por sermos preciosos e Sua propriedade exclusiva (1 Pe 2:9). Mas muitas vezes acabamos confundindo proteção com prisão, não é mesmo? Contudo, Ele nos cerca para proteger-nos do mundo, dos “amores do mundo e de tudo aquilo que nos faz mal.

Pode parecer lindo o ambiente fora do jardim. Tanto espaço, tantos caminhos, há tanto que se ver! É o mundo! Parece tão bonito. Mas apesar de parecer bonito, a aparência deste mundo e tudo o mais que há nele, passam (1 Co 7:31b, 1 Jo 2:17). O mundo pode parecer seguro, mas seu príncipe é Satanás e nele não há verdade (Jo 8:44). O que ele pode oferecer-nos é passageiro, falso. Além de nos enganar, seu desejo é matar, roubar e destruir (Jo 10:10a). Longe da proteção de Deus, o perigo é iminente.

Pensando sobre esse assunto, lembrei de uma situação que acontece comigo. Eu amo flores, então, se eu estiver passando por lugares públicos floridos, tenho frequentemente uma enorme “compulsão” para tirar foto delas ou com elas [risos]. Só que para isso, normalmente eu retiro alguma flor, tiro a foto e quando eu não a levo comigo (para guardá-la em um caderno, algo do tipo) deixo a flor “pra lá”. Fazendo uma analogia, quando o inimigo de Deus, o príncipe deste mundo nos vê, ele tem o desejo compulsivo de arrancar-nos do lugar onde Deus colocou, levar-nos para o mundo e depois, no mínimo, jogar-nos sem vida em algum “mato” por aí. “Sem vida” pode não ser “somente” espiritualmente, mas infelizmente, até mesmo no sentido literal. Na minha experiência, eu acabo tirando a vida da flor após admirá-la, mas o objetivo de Satanás não é o de apreciar-nos. Pelo contrário, ele deseja somente destruir-nos. Não permitamos que o inimigo de Deus faça isso conosco. Se permanecermos na proteção do jardim, seremos guardados pelo Senhor e o mundo não terá vantagem sobre nós!

“para que Satanás não alcance vantagem sobre nós, pois não lhe ignoramos os desígnios.” 2 Co 2:11.

O Senhor me protege, mas posso fugir dessa proteção?

Apesar de toda a proteção que O Senhor deseja dar-nos, Ele permite-nos fazer escolhas. Ao contrário de uma prisão, sua proteção é cheia de amor! Ele deseja a nossa permissão para Sua proteção, Seu guardar. Mas e se nós abrirmos brechas para o mundo? Bom, se isso ocorrer, o inimigo de Deus – que anseia isso-, entra devastando tudo pouco a pouco, pisando nas flores que O Senhor regou e destruindo as árvores que Ele plantou.

Cântico 2:15 diz: “Apanhai-me as raposas, as raposinhas, que devastam os vinhedos, porque as nossas vinhas estão em flor”. Essas raposas representam o inimigo de Deus. Elas podem entrar quando permitimos que brechas surjam em nosso coração; a seguir veremos três tipos de brechas – que podem ser sequenciais ou não.

Estudos

Dá uma resistência imensa pensar nesse item como uma possível brecha, não é mesmo? Afinal, os estudos fazem muito bem ao ser humano. Ensinam-nos coisas novas, fazem-nos sentir encorajados a aprender mais, incentivam o desenvolvimento de habilidades, mostram-nos que é possível sonhar, construir nosso futuro, ultrapassar limites.

-Ops! Limites? Que tipo de limites?

É exatamente esse o ponto. Que limites eu quero ultrapassar com meus estudos? Se forem os limites da preguiça (Pv 6:6) ou da acomodação (Pv 6:10-11), por exemplo, não há problema algum. Estudar nos acrescenta diligência, caráter, compromisso com as responsabilidades, dá satisfação pessoal, permite até mesmo usarmos os conhecimentos recebidos para o serviço ao Senhor (não exatamente da forma como recebemos, mas se entregarmos tudo o que aprendemos para Deus, lembrando sempre de que foi Ele mesmo quem nos concedeu a oportunidade de estudarmos, Ele poderá usar esse conhecimento como ferramenta para fazer Sua vontade)!

Os reais limites que não podemos ultrapassar, são os da Palavra de Deus! A Palavra do Senhor nos traz proteção. Seus princípios nos dão vida e não podemos esquecê-los. E seja por falta de tempo ou por falta de apetite espiritual, abrimos brechas na proteção que Deus nos dá quando deixamos a Palavra e seus princípios “de lado” e priorizamos nossos estudos.

Ansiedade

A ansiedade na nossa vida é uma das brechas pelas quais as raposas podem entrar. Quando estamos preocupados com as atividades do dia a dia e não conseguimos lançar nossas ansiedades sobre O Senhor (1 Pe 5:7), o tempo vai passando e uma pressão muito grande fica sobre nós. Isso nos desanima e enfraquece espiritualmente. Mas O Senhor convida todos os que se encontram cansados e sobrecarregados a um alívio precioso:

Vinde a mim, todos os que estais cansados e sobrecarregados, e eu vos aliviarei. Mt 11:28

Ele conhece as nossas fragilidades e entende que passamos por ansiedades e aflições. Somente precisamos, em meio à essas situações, voltar-nos ao Senhor! É fato que teremos ansiedades “batendo à nossa porta” no dia a dia, mas não precisamos aceitá-las. Temos um caminho suave para nos livrarmos delas e não permitirmos que esse tipo de brecha seja formada. “Vinde a mim”, este é o convite do Senhor para nós!

Relacionamentos impróprios

Os relacionamentos impróprios são aqueles que nos afastam do Senhor e também representam uma brecha para as raposas. Podemos e devemos ter contato com todas as pessoas, pois o próprio Senhor Jesus cuidava das pessoas de maneira muito próxima (cf Mt 9:11-12; Mt 9:35-36; Mc 16:9; Lc 7:11-15; Lc 8:40-42, 49-56; Jo 2:1-2; Jo 3:1-15; Jo 4:1-30; Jo 8:1-11). Ter contato com os que estão à nossa volta permite-nos expressar o amor de Deus a eles. Mas devemos sempre pedir luz ao Senhor a fim de que não sejamos influenciados pelo viver dos que não O amam para que nosso coração não se incline para o mal (Sl 141:4) e desviemo-nos do caminho que nos torna vencedores.

E agora? Existe solução para brechas abertas?

Querido jovem, essas situações – dentre outras – são sérias e precisam da nossa atenção. Mas se você se encontra em alguma delas e deseja uma mudança, saiba que ainda há tempo! (cf Is 30:21) A misericórdia do Senhor te chama incansavelmente! Não importa quanto tempo faz que você começou a deixar “raposas entrarem”. Independente de quantas delas tenham entrado, nada é impossível para Deus (Mt 19:26; Mc 10:27). Ele pode tirar todas do seu coração. Você foi escolhido, antes da fundação do mundo, para ser jardim particular protegido pelo Senhor! Não há outra maneira de sermos felizes. O Senhor te ama muito e espera ansiosamente pela sua presença (Ct 7:10)! Nós também te amamos e precisamos de você conosco. Você é importante para nós! Se desejar falar conosco, entre em contato, amado irmão! Queremos perseverar junto com você!

Um forte abraço e que O Senhor guarde-nos Nele! 🙂

Deixe seu comentário