Celebramos, em 2017, os 500 anos da Reforma Protestante. Há muito o que aprender ao ler sobre este movimento que gerou grande impacto na história da igreja. Refletir sobre os exemplos dos reformadores e os princípios que os motivaram, traz a nós, cristãos,  gratidão pela facilidade com que temos acesso à Bíblia e inspiração para pregá-la e praticá-la, mesmo em face às circunstâncias mais desanimadoras. Esperamos que esta série de textos sobre a Reforma possa lhe ajudar  a ter experiências semelhantes.

 Visão geral da Reforma

“Por fim, se alguém depositasse dinheiro na caixa para beneficiar uma alma no purgatório, essa alma sairia do purgatório e entraria no céu tão logo a moeda tilintasse no fundo da caixa.”

Esta frase, dita por Lutero contra um padre chamado Tetzel, mostra-nos um pouco sobre a realidade da igreja na época anterior à Reforma Protestante, período no qual o acesso à Bíblia era restrito ao clero.

A Igreja Católica Romana detinha poder político e instituía para si  autoridade para conceder perdão e o paraíso a quem pagasse para recebê-los (tributo conhecido como indulgência). Quem pagava mais, além de garantir a própria salvação, poderia tirar a alma de alguém do purgatório e levá-la diretamente ao paraíso.

Em um cenário de corrupção e distorções dos ensinamentos bíblicos, Deus levantou pessoas para restaurar Sua igreja. Mesmo antes do século XIV, alguns homens como John Wycliffe e John Huss já estavam sendo despertos pelo Senhor para verem a verdade bíblica e a corrupção presente na Igreja Romana; estes ficaram conhecidos como pré-reformadores. A Reforma Protestante foi iniciada por Lutero, quando pregou na porta de um templo em Wittenberg, Alemanha, suas 95 teses no dia 31 de Outubro de 1517. Essas teses apontavam erros cometidos pela Igreja Católica na época.

Lutero, além de combater os ensinamentos que eram contra a Palavra,  traduziu a Bíblia, antes publicada apenas em latim, para o idioma em que todas as pessoas do seu país falavam, o alemão, tornando-a acessível à sociedade da época. Por isso,  foi perseguido e excomungado da Igreja Católica. Mas ele não se intimidou  e prosseguiu fazendo a obra de Deus.

Então, na idade das trevas, a luz do evangelho voltou a brilhar. Em poucos anos a Reforma alcançou outros países por meio de pessoas comprometidas em restaurar a verdade bíblica, como William Tyndale, João Calvino, Marie Dentière e John Knox.

Sempre reformando

Uma frase famosa referente à Reforma é: “Ecclesia Reformata et Semper Reformanda Est”. Ela pode ser traduzida como: “A Igreja é reformada e está sempre se reformando”. Não quer dizer que a Igreja deve mudar e inovar de qualquer maneira. Antes, significa que ela precisa sempre resgatar o propósito de Deus para si, o qual tem a tendência de esquecer, devido à influência de um mundo dominado pelo pecado. Além disso, a frase original tem seu último trecho na voz passiva, indicando que não é a igreja a realizadora dessa reforma, mas o Espírito de Deus.

Ao longo da história, não foram poucas as vezes em que Deus precisou chamar de volta os que haviam se afastado Dele. E sempre houve alguns, ainda que poucos, que não esqueciam Suas palavras e promoviam mudanças, reformas, no meio do povo.

“Reforma”, neste contexto, tem sentido de “tornar à forma”. Os cristãos não devem conformar-se ao mundo, o que seria “deformação”. Antes, precisam ser conformados ao seu propósito original, segundo a Palavra de Deus, que é a verdade e nunca muda.

O mundo é que sempre se altera com a época, trazendo novos desafios à igreja. Por isso, ela deve sempre retornar às Escrituras, para não permitir que a influência exterior a faça ir contra os princípios imutáveis de Deus, deformando-se assim.

Esta deve ser nossa experiência: sempre relembrar os princípios mais básicos da Palavra e manter-nos na humilde posição de seus eternos servos e aprendizes; constantemente reavaliar, à luz da Bíblia, a forma como temos pensado e agido. Pois, se nos afastamos, essa luz nos fará, novamente, tornar à forma da Palavra.

O inimigo de Deus trabalha duramente para enganar e afastar as pessoas da Palavra de Deus. Foi assim no século XV e ainda é assim hoje. Você percebe que há uma forte tentativa de eliminar a Bíblia como referência do nosso viver? Mas Deus sempre tem seu remanescente, os que não se deixam enganar pelo senso comum da época (Rm 11:4-5), que não se conformam com este mundo (12:2); antes, amam Sua Palavra e conhecem Sua vontade.

Você faz parte desse grupo? Por amor à Palavra muitos lutaram para que tivéssemos a Bíblia em mãos. Foram perseguidos e mortos por defender a verdade do evangelho. Graças à coragem e à obediência deles, hoje temos acesso às Escrituras. Você tem valorizado a Bíblia? Não permita que o inimigo a elimine da sua vida. Não se deixe enganar. Leia a Bíblia. Pregue a Palavra. Seja fiel e coopere para que mais pessoas sejam libertas. Você pode ser um reformador dos dias atuais.

Fontes
Bíblia de Estudo da Reforma, SBB, 2017. 

www.defesadoevangelho.com.br/videos/o-que-foi-reforma-protestante/ 

https://www.youtube.com/watch?v=lDbyY_xVpg0&feature=youtu.be

 

Com colaboração de Gustavo Corrêa.