Nos textos anteriores, abordamos “O Poder que Liberta da Morte e do Pecado” e “O Poder que Liberta da Acusação”. Por meio do contato com a Palavra de Deus e pela fé nela, o grande poder do evangelho age em nossas vidas, tirando o peso da condenação e da separação de Deus. Já não somos mais pessoas sem esperança, pois a morte não é mais nosso destino, nem somos mais escravos do pecado. Podemos nos achegar a Deus para receber perdão e restauração ao confessar a Ele nossos pecados. Assim, o peso da condenação também não permanece sobre nós. Porém, na caminhada cristã outros males podem nos escravizar de maneira mais sutil. É o caso do mundo, da apatia e da insatisfação. Falaremos, agora, sobre o poder que liberta de tais prisões.

O Poder que Liberta do Mundo, da Apatia e da Insatisfação

 O PODER QUE LIBERTA DO MUNDO

O mundo jaz no maligno (1 Jo 5:19). Isso quer dizer que o mundo inteiro está sob a atuação de morte de Satanás e se apresenta como um defunto: pode até ser belo e arrumado, mas não tem vida. O mundo é um sistema criado por Satanás com o intuito de nos atrair pouco a pouco, por meio da busca por prazeres, riquezas e glória desta terra, para depois nos matar, roubar e destruir (Jo 10:10).

No mundo teremos muitos desafios, porém temos Aquele que venceu todas as coisas, inclusive o mundo! (16:33). Por isso, se queremos experimentar o poder que liberta do mundo precisamos estar sempre fundamentados em Deus. 1 Jo 5:4 diz: “Pois todo o que é nascido de Deus vence o mundo; e esta é a vitória que vence o mundo: a nossa fé. Quem é o que vence o mundo, senão aquele que crê ser Jesus o Filho de Deus?”.

 Jovem, você pode ser liberto e vencer o mundo! Basta se achegar a Deus em humildade e fé, reconhecendo seu lugar na cruz com Ele. Paulo disse que estava crucificado com Cristo (Gl 2:19). Ele também escreveu que o mundo estava crucificado para si e ele para o mundo (Gl 6:14), ou seja, um estava morto para o outro. Pelo poder da cruz não poderia haver mais relação entre Paulo e o sistema mundano. Assim, podia dizer que não era mais ele quem vivia, mas Cristo vivia em seu lugar (Gl 2:20).

Nós não podemos, mas Ele pode! Lembre-se: maior é o que está em nós do que o que está no mundo (1 Jo 4:4). Tenha fé!, o Deus que está em você é a luz do mundo (Jo 9:5). Se ele venceu o mundo e está no seu interior, então você também pode vencer – você tem nada menos que o poder de Cristo no seu interior como uma luz que resplandece na escuridão! Por isso, deixe Deus brilhar através de você e dissipe as trevas! (1:5). A luz de Deus que vem da fé é o poder que liberta do mundo! Use-a!

Leia também:

Série Não Ameis o Mundo

“Eu não tenho nada a ver com isso”

Nem uma unha ficará! – Deixando o mundo

O mundo é repleto de falsas promessas que parecem ser as mais aprazíveis. Como normalmente os planos que o mundo oferece são frustrados, temos como resultado,  jovens apáticos, insatisfeitos com a vida, levando-a com indiferença e sem entusiasmo.

O PODER QUE LIBERTA DA APATIA

Jovem, você já teve a experiência de se sentir indisposto e sem ânimo para seguir a Deus? A palavra apatia aparece na Bíblia como indiferença, falta de entusiasmo, indisposição e mornidão. Um exemplo disso é Apocalipse 3:16a que fala da condição na igreja em Laodicéia: “Assim, porque és morno e nem és quente nem frio”. O poder que liberta da apatia está representado no versículo 18: “Aconselho-te que de mim compres ouro refinado pelo fogo para te enriqueceres, vestiduras brancas para te vestires, a fim de que não seja manifesta a vergonha da tua nudez, e colírio para ungires os olhos, a fim de que vejas”.

O poder que liberta da apatia está nos três verbos: enriquecer, vestir e ver. Primeiro, precisamos ganhar mais Espírito e Vida de Deus em nosso interior, os quais representam o ouro que enriquece. Para ganhar mais do Espírito, não é necessário fazer algo muito difícil – basta pedir a Deus: “Pois se vós, sendo maus, sabeis dar boas dádivas aos vossos filhos, quanto mais dará o Pai celestial o Espírito Santo àqueles que lho pedirem?” (Lc 11:13). Busque em oração. O Senhor se alegra em conceder mais de si mesmo aos que lhe procuram com coração sincero e arrependido.

Segundo, precisamos cuidar de praticar atos de justiça, o que é representado pelas vestes brancas (Ap 19:8). Isso significa cuidar do que fazemos diante das pessoas (o testemunho) e fazer as coisas para Deus (a obra). Para isso, é necessário ter a consciência de que somos filhos de Deus, e andar de fato como filhos Dele, parecidos com o Pai. Certamente, andando com o Pai, conhecendo-o e sempre buscando conhecer sua vontade, andaremos assim.

Terceiro, adquirir visão espiritual, o que é representado pelos olhos ungidos para ver. Visão espiritual só vem por revelação de Deus através de Sua Palavra.

Jovem, se você deseja experimentar o poder que liberta da apatia, você precisa se aproximar de Deus para ganhar vida. Também tem de manter bom testemunho e fazer a obra de Deus, pois, ao entrar em ação, permite aos novos ares do Espírito entrarem e alimentarem suas brasas a fim de que nova chama nasça. Por fim, precisa ganhar visão espiritual, o que acontecerá de forma natural na medida que avançar nos outros itens.

Como a apatia, a insatisfação pode começar na forma de desânimo. Contudo, a apatia se manifesta como indiferença e passividade. A insatisfação, porém, resulta em uma postura de oposição às coisas de Deus.

O PODER QUE LIBERTA DA INSATISFAÇÃO

Insatisfação é o que sentimos quando nossas expectativas não são atendidas. É um desencanto pessoal causado pela frustração por algum dos nossos desejos não ser atendido.

Quantas vezes nos pegamos insatisfeitos com as coisas à nossa volta? Pior ainda, é quando a insatisfação está nas coisas do Senhor ou nas autoridades instituídas por Deus. Um bom exemplo disso está no velho testamento quando Miriã e Arão falaram contra Moisés, por causa de haver se casado com uma mulher cuxita, que não era descendente dos israelitas, o que não era permitido (Nm 12:1). Embora a causa deles aparentasse ser justa, já que Moisés havia feito algo em desacordo com a Palavra de Deus, a motivação que tiveram foi insatisfação com a posição de autoridade de Moisés, a quem não queriam se submeter, conforme indicado pelo versículo 2. Deus ouviu e puniu a insatisfação de Miriã, a qual teve de sofrer a vergonha de ser separada do acampamento do povo de Deus por sete dias, tendo sido curada porque Arão se arrependeu, intercedeu à Moisés e este orou a Deus (v. 9-16).

Precisamos reconhecer nossa posição dentro do plano de Deus e respeitar as autoridades que foram colocadas acima de nós (cf. Hb 13:17).  Para tanto, a Bíblia nos ensina que devemos pensar a respeito de nós mesmos com moderação e não além do que convém (Rm 12:3). Ser moderado é um traço de personalidade que faz parte do espírito que nos foi dado (2 Tm 1:7) e, ao mesmo tempo, é resultado da medida da fé que nos foi entregue pelo Espírito (Rm 12:3), a qual se expressa na forma de diferentes dons para cada um (v. 4-8).

Jovem, através da Palavra, Deus exerce o poder que liberta da insatisfação para nos tornar moderados e, então, trabalha em nós uma autoestima saudável, que reconhece o seu devido lugar e sabe fixar expectativas e desejos coerentes.


Esperamos que esse texto tenha tocado em seu interior e a luz do Senhor tenha lhe iluminado. Constantemente precisamos ser libertos. Não perca o próximo texto desta série: O poder que liberta do coração impenitente.


Série O Poder que Liberta:
O Poder que Liberta da Morte e do Pecado | Série O Poder que Liberta (1)
O Poder que Liberta da Acusação | Série O Poder Que Liberta (2)
O Poder que Liberta do Mundo, da Apatia e da Insatisfação | Série O Poder que Liberta (3)
O Poder que Liberta do Coração Impenitente | Série O Poder que Liberta (4)