Qual é o segredo para nossa libertação do mundo? Fugir para bem longe e construir uma cabana em uma ilha deserta, onde você não tenha contato algum com a sociedade? Talvez pareça uma boa ideia, mas é tolice. Precisamos reconhecer a sentença de Deus condenando o mundo. Nós estamos no mundo, mas não somos dele.

Amado leitor, você já considerou qual é o primeiro princípio da vida cristã? Faça uma reflexão e descobrirá que o sentimento de separação para Deus e separação do mundo é latente no coração de todo aquele que recebeu a vida de Cristo. Há um clamor que se estende por toda a vida do verdadeiro cristão: SANTIFICAÇÃO. Santificação em nós é o que é de Deus, o que está totalmente separado para Cristo.

Você sabia que o apóstolo João usou 79 vezes a palavra grega kosmos (mundo) na Bíblia? Foram 58 vezes em seu Evangelho, 18 em suas Epístolas e 3 vezes em Apocalipse. É um sinal de que o assunto é sério!  Logo em sua primeira epístola, ele adverte aos irmãos daquela época: “tudo o que há no mundo, a concupiscência da carne, a concupiscência dos olhos e a soberba da vida, não é do Pai, mas do mundo” (1 João 2:16).

Se, naquela época, João tinha essa preocupação, quanto mais nós hoje, que vivemos em um mundo onde a sociedade valoriza e estima a concupiscência da carne, dos olhos e a soberba da vida: proeminência, riqueza, realização e sucesso. Não estou dizendo que devemos ser pessoas fracassadas, mas toda vez que nos encontramos com o sucesso, estamos de alguma forma tocando o sistema do mundo e aí mora o perigo! Se é a soberba da vida e não o louvor a Deus o sentimento que desperta as nossas realizações, podemos ter certeza que estamos tocando o mundo e isso se torna uma barreira em nossa comunhão com Deus.

Então, qual é o segredo para nossa libertação do mundo? Fugir para bem longe e construir uma cabana em uma ilha deserta, onde você não tenha contato algum com a sociedade? Talvez pareça uma boa ideia, mas é tolice. O mundo irá seguir seus passos e encontrá-lo não importa onde se esconda. Quando fugimos do mundo, descobrimos, logo em seguida, quanto o amamos e quanto ele nos ama.

Nossa libertação do mundo começa quando entendemos esta sentença: “caiu, caiu a grande Babilônia” (Ap 18:2). A grande cidade, Babilônia, representa o mundo e todo o sistema que persegue e domina o homem até hoje, afastando ele de Deus. Em Apocalipse, João nos mostra que Deus faz uma sentença de morte para Babilônia, algo que acontecerá no futuro, porém Deus já decretou o seu fim. Você investiria em algo que está destinado à falência? Imagine um banco que está quebrado e o governo decide fechá-lo – você depositaria uma grande quantia de dinheiro para tentar salvar esse banco? Espero que não! Podemos dizer o mesmo do mundo: está sob um decreto de falência e fechamento. Quando vemos com os olhos de Deus, perdemos todo o interesse no mundo e ele perde o domínio sobre nós.

Para finalizar, lembremos do apóstolo Paulo: “longe esteja de mim gloriar-me, a não ser na cruz de nosso Senhor Jesus Cristo, pela qual o mundo está crucificado para mim e eu para mundo” (Gl 6:14). Quão extraordinário é esse versículo, você consegue perceber? Quando cremos na obra da cruz de Cristo, somos incluídos nesse fato. Quando Deus vem a você e a mim com a revelação da obra consumada da cruz de Cristo, Ele não apenas nos mostra que estamos cravados lá na cruz, mas nos mostra nosso mundo cravado lá também!

Jovem, nós estamos no mundo, porém não somos do mundo. Nós utilizamos as coisas desse mundo, porém elas não possuem domínio sobre nós. Medite nisso!

Ó Senhor Jesus!

Artigo inspirado no livro Não Ameis o Mundo, de Watchman Nee, Editora dos Clássicos (2008).
Artigos da série:

A Mente Por Trás do Sistema – Série “Não Ameis o Mundo” (1)

Tendência Oposta a Deus – Série “Não Ameis o Mundo” (2)

Um Mundo Sob a Água – Série “Não Ameis o Mundo” (3)

Crucificado para Mim – Série “Não Ameis o Mundo” (4)

Diferenciação do Mundo – Série “Não Ameis o Mundo” (5)

Luzes no Mundo – Série “Não Ameis o Mundo” (6)‏

Desapego – Série “Não Ameis o Mundo” (7)

O Refrigério Mútuo – Série “Não Ameis o Mundo” (8)

Minhas Leis em Seus Corações – Série “Não Ameis o Mundo” (9)

Os Poderes do Mundo Vindouro – Série “Não Ameis o Mundo” (10)

Roubando o Usurpador – Série “Não Ameis o Mundo” (11)

Deixe seu comentário