Existe uma área no domínio de Satanás que Deus quer usar para a cooperação da edificação do Seu reino hoje: o dinheiro!

Esperamos que você esteja gostando da série “Não ameis o mundo”. No post passado, falamos sobre “Os poderes do mundo vindouro“. Neste texto, abordaremos o assunto “roubando o usurpador”.

Você pode estar se perguntando: “Como assim, roubando o usurpador?” Isso mesmo: roubando o usurpador! Podemos achar que, atualmente, na era da graça, ganhar almas e transferi-las do reino de Satanás para o reino de Deus seja, talvez, o maior meio que nos foi dado para tomar os bens do reino de Satanás. Sem dúvida, pois no eterno propósito de Deus o homem está no centro de Sua vontade e do Seu amor! Mas existe uma área no domínio de Satanás que Deus quer usar para a cooperação da edificação do Seu reino hoje: o dinheiro!

O que a Bíblia diz sobre a natureza do dinheiro é que ele é oposto a Deus, (Mt 6:24; 1 Tm 6:10), tem caráter injusto e iníquo e nos afasta de Deus; é um deus chamado Mamom (riquezas) e é impossível servir a Deus e a Mamom; quem ama o dinheiro experimentará a raiz de todos os males; e ele será o fator supremo na construção do reino do anticristo. A essência do mundo é o dinheiro. Sempre que tocamos em dinheiro estamos tocando o mundo! E agora? Como cristãos, estamos no mundo e é impossível viver nesse mundo sem dinheiro, já que hoje nada pode ser feito sem que haja pagamento. Como podemos tocá-lo e, ainda assim, não nos envolver com o sistema mundano? Como podemos lidar e fazer negócios com o dinheiro e não nos envolver com Satanás?

A viúva, no relato do Evangelho de Marcos, ao depositar suas moedinhas no gazofilácio do templo fez algo tão aceitável ao Senhor que Dele recebeu um especial elogio! O que ela fez? Transferiu seu dinheiro do reino de Satanás e o entregou como contribuição para o reino de Deus. No Antigo Testamento, a consagração das ofertas materiais estava sempre ligada à consagração dos que traziam as ofertas. Portanto, quando a oferta material era oferecida ao Senhor, juntamente, o ofertante doava a si próprio para Deus! Se seu dinheiro foi tirado do mundo para ser entregue a Deus, então, consequentemente sua vida sairá do mundo e será entregue a Deus! Jesus disse sobre a viúva: “Esta, da sua pobreza, deitou tudo o que tinha, todo o seu sustento” (Mc 12:44). Nesse versículo a palavra “sustento” no original grego é bíos, que significa vida. Ou seja, ao depositar o dinheiro no gazofilácio a viúva depositou, junto, sua vida!

Paulo diz que os santos da Macedônia, mesmo em profunda pobreza material, contribuíram com tanta liberalidade que “a si mesmos se deram primeiramente ao Senhor” e, então, ofertaram seu dinheiro (2 Co 8:5). Pode parecer surpreendente, mas a verdade é que Deus tem um limitado suprimento de dinheiro, enquanto o de Satanás é ilimitado. Você deve estar se perguntando como isso pode ser verdade se Deus é dono de toda prata e todo ouro (Ag 2:8). Sem dúvida, todas as coisas pertencem ao Criador, mas o montante em dinheiro no tesouro de Deus está limitado ao número de pessoas que Lhe são consagradas! Deus quis assim, as riquezas só saem do livro contábil de Satanás para o reino de Deus se o ofertante dá a si próprio para Deus!

É mais fácil converter almas do reino de Satanás para o reino de Deus do que converter o nosso dinheiro do reino de Satanás para o reino de Deus, pois o poder do dinheiro é muito forte e exige uma entrega total da vida do ofertante. O dinheiro pode ser a nossa destruição, mas também pode ser a nossa proteção! Não menospreze o dinheiro: seu valor é grande demais para isso. Ele pode ser de muita valia para o Senhor!

Quando o povo de Israel saiu do Egito trouxe consigo muitos tesouros. Despojaram os egípcios e os despojos foram utilizados na construção do tabernáculo. Porém, podemos lembrar também que parte do tesouro foi utilizada para construir o bezerro de ouro e não pôde mais ser usada por Deus! Se conseguimos achar tais verdades no Antigo Testamento, quanto mais elevado é o padrão de ofertas no Novo Testamento! A chave neotestamentária para todas as finanças é que não devemos reter nada para nós mesmos. “Dai, e ser-vos-à dado” (Lc 6:38) foram as palavras do nosso Senhor, e não: “Economize e ficarás rico!” Que grande salvação temos ao ganharmos e praticarmos essa realidade!

Amado jovem, depois de ler sobre esse assunto, gostaríamos de encorajar a você: consagre sua vida ao Senhor e, depois, consagre o seu dinheiro. Essa é a maneira por meio da qual você transformará um recurso que é do mundo em um recurso que é de Deus. Consagre-se!

Artigo inspirado no livro Não Ameis o Mundo, de Watchman Nee, Editora dos Clássicos (2008).
Artigos da série:

A Mente Por Trás do Sistema – Série “Não Ameis o Mundo” (1)

Tendência Oposta a Deus – Série “Não Ameis o Mundo” (2)

Um Mundo Sob a Água – Série “Não Ameis o Mundo” (3)

Crucificado para Mim – Série “Não Ameis o Mundo” (4)

Diferenciação do Mundo – Série “Não Ameis o Mundo” (5)

Luzes no Mundo – Série “Não Ameis o Mundo” (6)‏

Desapego – Série “Não Ameis o Mundo” (7)

O Refrigério Mútuo – Série “Não Ameis o Mundo” (8)

Minhas Leis em Seus Corações – Série “Não Ameis o Mundo” (9)

Os Poderes do Mundo Vindouro – Série “Não Ameis o Mundo” (10)

Roubando o Usurpador – Série “Não Ameis o Mundo” (11)

Deixe seu comentário