“E disse-lhes: Ide por todo o mundo e pregai o evangelho a toda criatura. Quem crer e for batizado será salvo; quem, porém, não crer será condenado” (Mc 16:15-16)

O que essa declaração significa? Em primeiro lugar, temos que nos perguntar o que entendemos pela palavra “salvo”. O que a maioria das pessoas sabe sobre salvação é que foi salva do inferno para ir para o céu, ou salva dos pecados para viver uma vida santa. Se você pensava assim, saiba: está errado! Ao ler a Bíblia, percebemos que a salvação é muito mais que isso. Cada dádiva que Deus nos dá faz oposição a um mal. Veja: Ele nos dá a justificação por causa da condenação; Ele nos dá a vida eterna por causa da morte; Ele nos oferece perdão por causa dos pecados. Mas nos dá salvação por causa de quê?

A salvação está relacionada com o kosmos, o mundo. O que descrevemos como kosmos sempre fez oposição a Deus, como Pai e originador. Satanás interveio no plano de Deus: usurpou a criação para fazer dela algo centrado em si mesmo e refletindo sua própria imagem. Como já vimos até aqui, o mundo em que vivemos é governado por ele, Satanás. Nós somos confrontados por dois mundos, duas esferas de autoridade. A questão, hoje, está nesses dois mundos, e se pertencemos a uma ordem de coisas onde Cristo é o Senhor soberano ou a uma ordem que tem Satanás como líder.

A salvação não é tanto uma questão de pecados perdoados ou de inferno evitado. Trata-se da nossa saída de um sistema, o mundo organizado por Satanás. Significa escapar do kosmos, colocando o coração naquilo em que está o coração de Deus e caminhando, liberto, em direção ao reino Dele.

Os quais, noutro tempo, foram desobedientes quando a longanimidade de Deus aguardava nos dias de Noé, enquanto se preparava a arca, na qual poucos, a saber, oito pessoas, foram salvos, através da água, a qual, figurando o batismo, agora também vos salva, não sendo a remoção da imundícia da carne, mas a indagação de uma boa consciência para com Deus, por meio da ressurreição de Jesus Cristo” (1 Pe 3:20-21).

Estes versículos mostram o batismo e a salvação juntos. Para entender melhor devemos voltar à sua fonte: Gênesis 6 e 8. Nos dias de Noé, encontramos um mundo totalmente corrompido, do qual apenas oito pessoas saíram, Noé e sua família. Essas oito pessoas escaparam, através da arca, de um mundo sob julgamento com água. Esta é a essência da salvação: a saída de um sistema condenado, pertencente a Satanás. Quando os crentes são batizados, eles passam simbolicamente, pela água, assim como Noé passou com a arca pelas águas do dilúvio. É pelo batismo que declaramos: “Senhor, deixo o mundo para trás. Tua cruz separa-me dele para sempre”.

Para nós esse mundo, como o de Noé, está submerso, afundado, colocado para morrer na morte de Cristo, e nunca mais será revivido. A mesma água que posiciona você e eu na base segura da salvação em Cristo, também sepulta um completo sistema de coisas pertencentes a Satanás. É uma morte e sepultamento dos quais nada ressuscita. É o fim de tudo. Entramos na esfera de Adão por termos nascido na raça de Adão. Saímos, obviamente, pela morte. Deste modo, o caminho para entrarmos na esfera de Cristo é o nascimento.

Bendito o Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo, que, segundo a sua muita misericórdia, nos regenerou para uma viva esperança, mediante a ressurreição de Jesus Cristo dentre os mortos”. (1 Pe 1:3).

Tendo sido unidos a Ele pela semelhança de sua morte, também estamos unidos a Ele pela semelhança de sua ressurreição (Rm 6:5). A morte põe fim ao nosso relacionamento com o velho mundo, o kosmos. A ressurreição nos coloca em contato vivo com o novo mundo, o reino de Deus. Nunca tenhamos o batismo num conceito inferior.

Você pode, ainda, perguntar se tem importância ou não ser batizado. A única resposta é: foi o próprio Senhor que ordenou o batismo (Mt 28:19) e foi um passo que Ele mesmo insistiu em dar, recusando a dissuasão de João Batista (Mt 3:13-15). Pedro descreve o batismo como uma indagação ou um testemunho de uma boa consciência para com Deus. Um testemunho é uma declaração. Por meio deste ato, você declara sua posição. Declara a todo o universo que deixou o mundo para trás e entrou num lugar totalmente novo. Isso é salvação! É uma declaração pública de que Deus colocou você em Cristo. Entrando na água estou, simplesmente, encenando todo o processo, afirmando publicamente que o julgamento deste mundo tornou-se real para mim, desde o dia em que o “levantado” Filho do Homem atraiu-me para Si mesmo.

Que evangelho a ser pregado a toda criação!

Artigo inspirado no livro Não Ameis o Mundo, de Watchman Nee, Editora dos Clássicos (2008).
Artigos da série:

A Mente Por Trás do Sistema – Série “Não Ameis o Mundo” (1)

Tendência Oposta a Deus – Série “Não Ameis o Mundo” (2)

Um Mundo Sob a Água – Série “Não Ameis o Mundo” (3)

Crucificado para Mim – Série “Não Ameis o Mundo” (4)

Diferenciação do Mundo – Série “Não Ameis o Mundo” (5)

Luzes no Mundo – Série “Não Ameis o Mundo” (6)‏

Desapego – Série “Não Ameis o Mundo” (7)

O Refrigério Mútuo – Série “Não Ameis o Mundo” (8)

Minhas Leis em Seus Corações – Série “Não Ameis o Mundo” (9)

Os Poderes do Mundo Vindouro – Série “Não Ameis o Mundo” (10)

Roubando o Usurpador – Série “Não Ameis o Mundo” (11)

Deixe seu comentário